EY - Olympic medalist Dot Richardson

Inside stories

Life lessons from Olympic medalist Dot Richardson

  • Compartilhar

Life lessons from Olympic medalist Dot Richardson

Lições de vida da medalhista olímpica Dot Richardson

Inside stories

Notícias internas

 

Women athletes helping each other

There will be nightmares, and you’ll wake up from those, But the point is, are you going to stay true to your vision, your passion, your goals, your directive? Those things can change, and that’s OK. Life is about an adventure. Just be true to who you are.

I wanted to share all of this because this testimony is: life is not easy. Life is not meant to be easy. People think when bad things happen to them, or in times of struggle, it’s because they’re a bad person, but bad things are a part of life.  You have your story, your testimony.

There was a time when I had no more money left. None. I wasn’t going to get my paycheck for another week. I’m like, OK. All right. I can make this work. I opened a book and discovered a $50 bill that my mom and dad had left for me to find.

When you reach out for help, there are people out there who have experienced what you’re experiencing and who are ready to help.

Paving the way for others

The EY Women Athletes Business Network is there for women athletes to provide mentorship and guidance and to help them pursue a life after retirement from sport that is equally fulfilling. It’s extremely important to have that mentorship. To be able to see people who have paved the way, who’ve done it and will show you that you can do it too.

I was the leadoff batter for most of 1979 to 2000. Why? I wasn’t the fastest. I wasn’t the best. I believe I was the leadoff because it set the tone of the game. If I did it, everyone else said, “Well if Dot can do it, I can do it.”


EY - Portrait of Dot Richardson
 

 “If I did it, everyone else said, ‘Well if Dot can do it, I can do it.’” – Dot Richardson

 

I’ve had men tell me that when they give money to UCLA, they’re not giving it for women’s sports. Guess what I say back to them? I can appreciate that, and I thank you for that. But guess what? Now that I’m in a position to give money, I’m giving it to women’s sports. You won’t have to worry about it anymore.

I support both boys and girls because we’re all in this together. It is so great to see my brothers, who each have a boy and a girl, support their children’s interests equally. Everyone should have the opportunity to express their gifts, their talents, their passion, their desire to become the best they can be to impact the world in a positive way.

A final life lesson

Don’t worry about tomorrow. Tomorrow will take care of itself. Just be the best that you can be in what you’re doing to prepare yourself for these opportunities that are going to present themselves and feel a sense of freedom and excitement and encouragement to walk through those open doors. See what life has in store for you.

It’s not all going to be rosy, but at the end, it is going to be for your prosperity, for your growth and for you to just recognize that this is bigger than just our lives here on earth.

Mulheres atletas ajudando-se mutuamente

Haverá pesadelos e você vai despertar deles, mas a questão é se você vai permanecer fiel à sua visão, à sua paixão, aos seus objetivos, às suas diretrizes. Todas as coisas podem mudar. A vida é uma aventura. Basta ser fiel a quem você é.

Eu quis compartilhar tudo isso porque este depoimento se resume em: a vida não é fácil. A vida não é para ser fácil. As pessoas pensam que quando acontecem coisas ruins, lutas ou batalhas, é porque são pessoas más. Mas as coisas ruins fazem parte da vida. Você tem a sua história, o seu depoimento.

Houve uma época em que eu fiquei sem dinheiro. Sem nada. E só iria receber meu pagamento dali a uma semana. Então, pensei: “OK. Tudo bem. Vai dar tudo certo”. Abri um livro e encontrei uma nota de $50 que meus pais haviam escondido para mim.

Quando você busca ajuda, vai perceber que existem pessoas que já passaram pelo que você está passando, e poderá aprender com elas.

Abrindo caminho para outras pessoas

A EY Women Athletes Business Network dá orientação e direcionamento a mulheres atletas, ajudando-as a levar uma vida igualmente gratificante após sua aposentadoria do esporte. É extremamente importante receber essa orientação, observando as pessoas que já fizeram isso e que mostrarão que você é igualmente capaz.

Eu fui a primeira rebatedora na maioria dos jogos entre 1979 e 2000. Por quê? Eu não era a mais rápida, nem era a melhor. Creio que eu era a primeira para definir o tom do jogo. As pessoas diziam: “Bem, se a Dot conseguiu, eu consigo”.


EY - Portrait of Dot Richardson
 

 “As pessoas disseram: ‘Bem, se a Dot conseguiu, eu consigo. – Dot Richardson

 

Alguns homens disseram que quando doavam dinheiro para a UCLA, não era para esportes femininos. Adivinhe o que eu respondia? "Entendo e agradeço seu gesto. Mas, quer saber? Agora que estou em posição de doar recursos, estou doando para esportes femininos. Assim, você não terá que se preocupar mais com isso."

Eu apoio meninos e meninas porque estamos todos juntos nisso. É tão bom ver meus irmãos, cada um com um casal de filhos, apoiar os interesses das crianças sem distinção de gênero. Todos devem ter a oportunidade de expressar seus dons, seus talentos, sua paixão, seu desejo de se tornar o melhor possível para afetar o mundo de maneira positiva.

Uma lição de vida final

Não se preocupe com o amanhã. O amanhã cuidará de si mesmo. Basta ser o melhor que você puder naquilo que você faz para estar pronto para essas oportunidades que irão surgir e sentir uma sensação de liberdade, animação e coragem para atravessar essas portas abertas. Veja o que a vida reserva para você.

Nem tudo será cor-de-rosa mas, no final, contribuirá para sua prosperidade, para seu crescimento e para você reconhecer que tudo isso é muito maior do que o nosso dia a dia aqui na Terra.