Athlete interview

Nadia Comaneci

  • Compartilhar

Nadia Comaneci, Romania

Nadia Comaneci, Romênia

Athlete interview:

Entrevista com a atleta:

The ‘perfect 10’ Olympian on why it’s OK to make mistakes

A primeira ginasta a ganhar um "10 perfeito" explica por que não se sente mal em cometer erros

 


Olympic gold medalist in gymnastics, now business partner
At the 1976 Olympics in Montreal, at just 14 years old, Nadia Comaneci was the first female gymnast to earn a perfect 10. She went on to win three Olympic gold medals that year and five more in 1980. Now, she and husband Bart Conner are partners in the Bart Conner Gymnastics Academy, International Gymnast magazine, Perfect 10 Productions, Inc. (a TV production company) and Grips, Etc. (a gymnastics supply company).


Medalhista de ouro em ginástica olímpica, hoje é empresária
Nos Jogos Olímpicos de 1976, em Montreal, com apenas 14 anos, Nadia Comaneci foi a primeira ginasta a ganhar um 10 perfeito. Ela ainda ganhou três medalhas olímpicas de ouro naquele ano e mais cinco em 1980. Agora, ela e o marido, Bart Conner, são sócios da Bart Conner Gymnastics Academy, da International Gymnast magazine, e da Perfect 10 Productions, Inc. (produtora de TV) e da Grips, Etc. (empresa de fornecimento de materiais de ginástica).

Q

As a little girl growing up in Romania, how did you become involved in gymnastics?

Nadia, como uma menina criada na Romênia acabou se envolvendo com a ginástica olímpica?

 

My mom signed me up because she thought gymnastics was a great opportunity to be challenged mentally and physically in a positive way. She hoped it would hold my interest temporarily, not imagining that it would be the beginning of my career.

Although the activities were very disciplined, being in the gym was fun for me. That’s where I made a lot of friends, and together we had access to this wonderful playground with trampolines and bars we could swing on – things that weren’t available to us anywhere else. As our skills improved, we started to become a little team, eventually getting uniforms and entering small competitions.

As time went on and as much as I enjoyed the sport itself, I discovered I also enjoyed competing, and gymnastics was an excellent way to compete against and challenge myself.

Minha mãe me inscreveu na modalidade porque achava que ginástica olímpica era uma grande oportunidade de ser desafiada mental e fisicamente, de forma positiva. Ela esperava que isso fosse atrair o meu interesse temporariamente - jamais imaginava que seria o começo da minha carreira.

Embora as atividades exigissem muita disciplina, para mim, estar no ginásio sempre foi uma diversão. Foi lá que fiz um monte de amigos e, juntos, tivemos acesso a este maravilhoso “parque infantil”, com trampolins e barras em que podíamos nos balançar - coisas que não tínhamos em nenhum outro lugar. À medida que desenvolvíamos nossas habilidades, começamos a formar uma pequena equipe, aí acabamos recebendo uniformes e passamos a participar de pequenas competições.

Conforme o tempo passava, e percebendo o quanto eu gostava do esporte em si, descobri que também gostava de competir, e que a ginástica era uma forma excelente de competir e de desafiar a mim mesma.

Q

Is the spirit of competition something that has stayed with you your entire life?

O espírito de competição é algo que a tem acompanhado por toda a vida?

 

Always. I’m not sure I would be able to excel at anything else on the same level as I excelled in gymnastics, but I consider it an accomplishment when I can do something to the best of my ability. I understand why people ask, “Do you try to do everything perfectly in life?” but my answer to them is usually something like, “I’m not sure what perfect is”.

Sempre. Não sei ao certo se seria capaz de me destacar em qualquer outra coisa da mesma forma que me superei na ginástica, mas considero uma realização conseguir fazer alguma coisa valendo-me de minha capacidade máxima. Entendo o motivo pelo qual as pessoas me perguntam: “Você tenta fazer tudo com perfeição na vida?” Mas a minha resposta normalmente é algo como, “Não sei o que é a perfeição”.


EY - Portrait of Martina Navratilova
 
“I have certainly made mistakes here and there and, yes, I’ve learned from them. But I don’t think I would have done anything differently, because every little thing that I’ve done has pointed me in the direction that has put me in the position I’m in today.” – Nadia Comaneci
 


EY - Portrait of Martina Navratilova
 
“Eu certamente cometi erros aqui e ali e, sim, aprendi com eles. Mas não acho que teria feito qualquer coisa de forma diferente, porque cada uma das pequenas coisas que fiz serviu para me indicar a direção que me colocou na posição que estou hoje.” – Nadia Comaneci
 

Q

That’s actually a very interesting point, because when you score a perfect 10 like you did at the 1976 Olympic Games in Montreal, where can you really go from there? How were you able to manage expectations and decide when it was the right time to retire and begin your next endeavor?

Isso é realmente um aspecto muito interessante... Quando você consegue uma nota 10, como fez nos Jogos Olímpicos de 1976 em Montreal, o que deve ser feito para seguir a partir desse ponto? Como você conseguiu administrar suas expectativas e decidir quando seria o momento certo de se aposentar e começar seu próximo projeto?

 

When you score a 10, you can’t go higher than that, but you can go a lot lower if you stop training and forget about your goals. You have to work much harder to maintain that level.

I was only 14½ then and wasn’t prepared to be retired by the age of 15. I knew that I wanted to do one more Olympics. I had dedicated my life to gymnastics up to that point, so I re-committed to a daily regimen of two long training sessions with academics tucked in between.

Back then, teachers came to us, so we didn’t have to take time away from training going to and from school. Although education was necessary, training was always the focus. I knew that if I pursued a degree after my Olympic retirement it would be interesting to experience a different focus.

Quando você consegue um 10, não pode ir além disso, mas pode cair muito se parar de treinar e esquecer-se de seus objetivos. Você tem que se esforçar muito mais para manter esse nível.

Naquele momento, eu só tinha 14 anos e meio, e não estava preparada para me aposentar aos 15 anos de idade. Sabia que queria participar de mais uma Olimpíada. Havia dedicado minha vida à ginástica olímpica até aquele ponto, então reassumi o compromisso, com uma rotina diária de duas sessões de treinamento de longa duração, entremeadas pelos estudos.

Naquela época, os professores vinham até nós, por isso não precisávamos sair do treino para ir e voltar da escola. Embora a educação fosse necessária, o foco sempre foram os treinamentos. Mas eu sabia que, se partisse para uma graduação depois de minha aposentadoria olímpica, seria interessante vivenciar um foco diferente.

Q

Did you go to University in Romania?

E você foi para a Universidade na Romênia?

 

Yes. With the encouragement of my parents, I went to University and got a degree in physical education.

Sim. Com o incentivo dos meus pais, fui para a universidade e me formei em Educação Física.

Q

Can you tell us about your post-Olympic career experience?

Você pode nos falar um pouco sobre sua experiência na carreira pós-olímpica?

 

I was so busy then that I’m not sure I can remember all of the things I did! I worked at the Gymnastics Federation for a couple of years and held a variety of different coaching assignments, including coaching the Juniors and the Olympic University teams. And then I came to the United States in 1989.

Estava tão ocupada naquele momento que não sei se consigo me lembrar de todas as coisas que fiz! Trabalhei na Federação de Ginástica Olímpica por dois anos e realizei uma série de trabalhos diferentes de treinamento, atuando inclusive como técnica das equipes de Juniores e das equipes olímpicas universitárias. Depois, fui para os Estados Unidos em 1989.

Q

Where did that ultimately lead you?

E no fim das contas, para onde tudo isso a levou?

 

I am a partner, along with my husband Bart Conner and our Manager Paul Ziert, in the Bart Conner Gymnastics Academy. We have about 1,500 kids in the gym (80% are girls and 20% are boys) and staff, including 35 coaches.

Also, I am a Global Ambassador for the Special Olympics, Vice President of the Muscular Dystrophy Association and a motivational speaker. All that keeps me busy, but my most exciting job is being a mom to our 7-year old son Dylan.

Sou sócia, juntamente com meu marido (e ex-ginasta) Bart Conner e nosso gerente Paul Ziert, na academia Bart Conner Gymnastics Academy. Temos cerca de 1.500 crianças matriculadas (80% meninas e 20% meninos) e funcionários, incluindo 35 técnicos.

Além disso, sou embaixadora global para a organização Special Olympics, Vice-Presidente da Associação de Distrofia Muscular e palestrante motivacional. Tudo isso me mantém bastante ocupada, mas o trabalho que mais me empolga atualmente é ser mãe do Dylan, nosso filho de 7 anos.

Q

How does motherhood play into your life?

Como você encara a experiência da maternidade em sua vida?

 

You think gymnastics is a non-stop thing? That was a busy schedule? That was easy! Compared to parenthood, gymnastics was easy!

Você pensa que a ginástica olímpica é algo que te exige muito? Que traz uma agenda movimentada? Comparada à tarefa que cabe aos pais, a ginástica foi moleza!

Q

Now that you’ve succeeded so extraordinarily, in and out of sport, looking back is there anything you would have done differently?

Agora que você já conseguiu um sucesso tão extraordinário dentro e fora do esporte, olhando para o passado: há alguma coisa que você teria feito de diferente?

 

Well, I have certainly made mistakes here and there and, yes, I’ve learned from them. But I don’t think I would have done anything differently, because every little thing that I’ve done has pointed me in the direction that has put me in the position I’m in today. Which is exactly where I want to be so, no, I wouldn’t want to change anything. Bad decisions, good decisions, you learn from all experiences. That’s how life is.

Bom, certamente cometi erros aqui e ali e, sim, aprendi com eles. Mas não acho que teria feito qualquer coisa de forma diferente, porque cada uma das pequenas coisas que fiz serviu para me indicar a direção que me colocou na posição que estou hoje. Por isso, minha resposta é "não", não gostaria de ter mudado nada. Se você toma decisões boas ou ruins, não importa - o que vale é que se aprende a partir de todas as experiências. É assim que a vida funciona.

Q

Do you have any advice for Olympians facing retirement about how to transition to the next phase of life?

Você daria algum conselho para atletas olímpicos que estejam enfrentando o momento da aposentadoria sobre a forma de fazer a transição para a próxima fase da vida?

 

Be yourself. You have to be who you are. Know that you don’t have to commit to the first opportunity in front of you. Try many things, and choose what you are passionate about.

As you go along, embrace each moment and try to learn a little something and be a little better every day. It is this knowledge that makes up the foundation of who you are. It’s like how you build your house. If you have the knowledge to arrange all those bricks in the right way, you make a strong base. All your experiences and opportunities and hard work will give you the knowledge to create a healthy base in everything you do.

Seja você mesmo. Você tem que ser quem você é. Saiba que não precisa se comprometer com a primeira oportunidade que tiver à sua frente. Tente fazer várias coisas, e escolha aquilo que faz com paixão.

E à medida que caminha, abrace cada momento e procure aprender um pouco mais e ser um pouco melhor a cada dia. É este conhecimento que compõe a base de quem você é. É como construir sua casa. Se você tem o conhecimento para colocar todos os tijolos da forma correta, você constrói uma base forte. Todas as suas experiências, oportunidades e trabalho duro lhe darão os conhecimentos necessários para criar uma base saudável para tudo o que faz.

Q

The majority of Olympians don’t win medals. Any advice for them as they make the transition out of sport?

A grande maioria dos atletas olímpicos não ganha medalhas. Qual é o seu conselho para esses esportistas fazerem a transição? 

 

People are not going to come to you and say, “Ah, you were an Olympian! Here’s our money; here’s a job!” But the fact that you are an Olympian can open doors for you. It will be a little easier with your Olympic credentials than for others who don’t have that credibility.

I don’t think it’s as much about having a medal around your neck as it is about the fact that you’ve been there. It’s about using the things that you have learned from experiencing sport at such an elite level. You have worked very hard to deserve to represent your country in the Olympic Games and to be chosen to be a member of your Olympic team. Very few people can say that.

So go away with the experience of being an Olympian and take advantage of your commitment, leadership skills and perseverance when you are in search of your next steps. Believe in yourself, because the same skills and work ethic that got you to the Olympics have prepared you well for the next challenge.

As pessoas não chegam em você e dizem: “Ah, mas você foi um atleta olímpico! Tome aqui o nosso dinheiro, e aqui um emprego para você!” Mas o fato de você ter sido um atleta olímpico pode lhe abrir portas! Vai ser um pouco mais fácil com suas credenciais olímpicas do que para outros que não tenham essas credenciais.

Não acho que seja tanto voltar com uma medalha em seu pescoço, mas sim o fato de que você esteve lá. Trata-se de usar as coisas que você aprendeu com a vivência do esporte de elite. Você trabalhou muito duro para ter o mérito de representar o seu país nos Jogos Olímpicos e de ser escolhido como membro de sua equipe olímpica. São poucas as pessoas que podem dizer isso.

Então, deixe de lado a experiência de ter sido um atleta olímpico e, quando estiver em busca de seus próximos passos, tire proveito de seu comprometimento, perseverança e capacidade de liderança. Acredite em si mesmo, porque as mesmas habilidades e ética que te levaram aos Jogos Olímpicos o ajudarão em seu próximo desafio.


Want to learn more about what elite athletes can do after sports? Join our network.



Quer saber mais sobre o que atletas de elite podem fazer depois do esporte? Junte-se à nossa rede


The views of third parties set out in this publication are not necessarily the views of EY. Moreover, the views should be seen in the context of the time they were expressed.

As opiniões de terceiros emitidas nesta publicação não refletem necessariamente as opiniões da EY. Além disso, as opiniões devem ser vistas no contexto do período em que foram emitidas.