Brasil é o 3º maior mercado para IPOs em 2012

  • Compartilhar

São Paulo, 22 de fevereiro de 2013 - O Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking de interesse para investimentos em papéis de IPOs do mundo em 2012, de acordo com a pesquisa Institucional Investor Survey, da EY. Os Estados Unidos lideram a lista, com a China e Hong Kong em segundo lugar. Países da Ásia e Pacífico aparecem em quarto, e o Reino Unido em quinto.
 
Segundo o estudo, as expectativas dos investidores institucionais sobre o mercado de IPOs são positivas para 2013. De acordo com os mais de 300 entrevistados na pesquisa, realizada em dezembro, 82% deles investiram em pré-IPOs e IPOs em 2012, contra apenas 18% em 2010 e 2011. Segundo os participantes, a melhora das perspectivas para lucros corporativos e do cenário macroeconômico, somadas a maior estabilidade no mercado de ações, foram os principais fatores para a percepção positiva para 2013.
 
“Os resultados derrubam o mito de que investidores institucionais não apoiam o mercado de IPOs. Não apenas houve um aumento significativo do interesse em 2012, como também a expectativa para 2013 e 2014 é que o cenário positivo para os investimentos se mantenha”, afirma André Viola Ferreira, sócio-líder para Mercados Estratégicos da EY – “Apesar da possibilidade de volatilidade no mercado de ações, esperamos que os investimentos institucionais em IPOs se mantenham. A questão principal será quando as companhias em pré-IPO estarão prontas para atender às expectativas dos investidores”, complementa.
 
“Os EUA devem continuar a liderar, seguido pelos mercados de rápido crescimento na Ásia -particularmente a China - e pelo Brasil. É improvável que o cenário do setor mude de forma significativa nos próximos cinco anos, embora investimentos em mineração e em petróleo e gás devam aumentar a expectativa que a economias dos mercados de rápido crescimento continuem a investir em infraestrutura e em suas capacidades de manufatura”, diz Ferreira.
 
Por outro lado, investidores ainda consideram os mercados de rápido crescimento mais arriscados e caros, com 72% tendo afirmado que o risco é maior, e 41% dizendo que a precificação (valuation) nessas regiões é mais alta. As percepções de risco são maiores entre os investidores da América do Norte. “Com a melhora no mercado doméstico, investidores americanos não veem necessidade em correr um risco adicional”, explica Ferreira.
 
Segundo as conclusões do estudo, 89% dos investidores americanos miram o mercado doméstico ou regional nos próximos três anos. Por outro lado, 41% dos europeus se mostram mais inclinados a investir fora de suas regiões. Tal porcentagem dos que querem investir fora é mais que o dobro do que em outras regiões, como a África e o Oriente Médio. Na Ásia, apenas 13% dizem ter intenção de investir no exterior. Tal número é ainda menor na América Central e América do Sul – de apenas 9%.
 
Setor de serviços financeiros em alta

De acordo com o estudo da EY, os serviços financeiros são a indústria com maior apelo em todas as regiões. No total, 51% dos investidores consideram este setor uma das três principais alternativas. Em segundo lugar, aparece o mercado de varejo (35%), seguido por bens de consumo (27%),petróleo e gás (26%), e tecnologia (21%).
 
“Investidores são atraídos por serviços financeiros devido à alta demanda por esse setor globalmente e do crescimento de um serviço inovador. As indústrias de consumo são particularmente fortes nos mercados de rápido crescimento, onde as populações são jovens, em expansão, e a renda está aumentando”, explica Ferreira.
 
Private Equity e Venture Capital

Ainda segundo a pesquisa, a crença de que os IPOs de empresas que possuem investimentos de private equity e venture capital têm menor valor para investidores futuros também é um mito. A percepção dos investidores sobre o preço desses IPOs em relação aos demais mostrou ser variada. Pouco mais de 40% dos investidores institucionais disseram acreditar que tais IPOs sejam mais caros, enquanto cerca de 60% afirmaram que o preço seria o mesmo ou até mesmo menor, o que implicaria em maior retorno para novos investidores.
 
“As diferenças regionais na percepção do valor que o private equity e o venture capital trazem aos IPOs são surpreendentes. Os investidores baseados na América Central e América do Sul são em sua maioria positivos – em contraste direto com os de outras regiões de rápido crescimento, como a África e o Oriente Médio.
 
Desafios para os IPOs

A pesquisa indica ainda que o alto preço das ações é o principal desafio para o sucesso de um IPO, na visão dos investidores. Oitenta e cinco por cento dos entrevistados consideraram esse o maior obstáculo para o investimento. Em segundo lugar, com 56% das citações, destaca-se a qualidade da administração da empresa que abre seu capital. Em terceiro, com 43%, aparece a definição do momento do ciclo de vida empresarial adequado para a empresa realizar o IPO.
“A boa notícia é que os principais desafios para um IPO bem-sucedido podem ser gerenciados – esses são fatores com os quais as companhias podem lidar”, explica Ferreira. 
 
Sobre a EY

A EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Assessoria. Em todo o mundo, nossos 152 mil colaboradores estão unidos por valores pautados pela ética e pelo compromisso constante com a qualidade. Nosso diferencial consiste em ajudar nossos colaboradores, clientes e as comunidades com as quais interagimos a atingir todo o seu potencial, em um mundo cada vez mais integrado e competitivo.

No Brasil, a EY é a mais completa empresa de Auditoria e Assessoria, com 4.900 profissionais que dão suporte e atendimento a mais de 3.400 clientes de pequeno, médio e grande porte.
Em 2011, a EY foi escolhida como Apoiadora Oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e fornecedora exclusiva de serviços de Assessoria e Auditoria para o Comitê Organizador. O alinhamento dos valores do Movimento Olímpico e da EY foi decisivo nessa escolha.
Links: Visite o site: http://www.ey.com.br
 
Mais informações para a imprensa:
 
Máquina da Notícia - Assessoria de imprensa EY
Daniela Loreto – daniela.loreto@grupomaquina.com – (11) 3147-7401/ (11) 98405-6846
Amanda Trolezi- amanda.trolezi@grupomaquina.com – (11) 2573-4100/ (11) 98490-6252
Fernando Kadaoka– fernando.kadaoka@grupomaquina.com–(11) 3147-7498/ (11) 8446-5912