Série Brasil Sustentável traz projeções para 2030 em sete setores

  • Compartilhar

A EY publica a série Brasil Sustentável, projeto desenvolvido em parceria com a Fundação Getulio Vargas que reuniu, até agora, sete publicações com dados e projeções inéditos sobre setores fundamentais para a expansão e a sustentabilidade da economia brasileira. A abordagem dos temas leva em conta as potencialidades do País em sua interação com o mercado mundial, delineando cenários até o ano de 2030. O resultado é um conjunto de informações estratégicas indispensáveis para o planejamento das empresas e seu crescimento sustentável.

Conheça, a seguir, todas as publicações da série.


Petróleo, Etanol e Gás

O descompasso entre o crescimento da demanda e a incorporação de novas reservas fará com que os preços do petróleo e do etanol no mundo subam, respectivamente, 43,1% e 125,9% até o final da década. No Brasil, no entanto, as altas médias serão menores, alcançando 18,7% e 7% até 2020. O sétimo estudo da série Brasil Sustentável traz uma análise profunda e projeções densas sobre oferta, demanda, crescimento e impacto da indústria de combustíveis na economia mundial. Acesse o Brasil Sustentável - Perspectivas dos mercados de petróleo, etanol e gás (pdf, 2mb)  e saiba mais.


Copa do Mundo

A Copa do Mundo 2014 tem o potencial de quintuplicar os investimentos diretos no país, com a injeção de R$ 142,39 bilhões na economia brasileira até o ano do evento. Além do investimento direto de R$ 22,46 bilhões para garantir infraestrutura e organização, a realização da competição deve atrair R$ 112,79 bilhões adicionais, considerando-se os impactos provocados em inúmeros setores interligados, em um efeito dominó com uma série de desdobramentos econômico-sociais. Acesse a publicação Impactos socioeconômicos da Copa do Mundo 2014 (pdf, 613kb)  e saiba mais.


Agroindústria

O estudo Perspectivas do Brasil na Agroindústria (pdf, 2mb) mostra que a produtividade do setor no Brasil cresceu 2% ao ano nas últimas três décadas, percentual bastante superior ao verificado nos Estados Unidos (0,8%) ou mesmo na China (1,8%). Quinto volume da série, a publicação revela também que a China saltará do 7º para o 2º maior mercado importador da agroindústria brasileira em 2030, movimentando US$ 2.145,7 milhões anualmente.


Competitividade Industrial

A publicação Horizontes da Competitividade Industrial (pdf, 1mb) revela as principais tendências para a indústria do país, inserida em um contexto mundial, rumo a 2030. Entre as principais conclusões, o estudo indica que as exportações brasileiras de manufaturados crescerão à taxa de 1,8% ao ano nas próximas duas décadas, chegando a US$ 182,7 bilhões em 2030. Tal desempenho, porém, será inferior ao projetado para as importações mundiais de produtos industrializados, que terão em média aumento de 3,7% ao ano, demonstrando que ainda há muito a ser feito para melhorar a competitividade do país no mercado externo nas próximas décadas.


Energia

Em Desafios do Mercado de Energia (pdf, 1mb), o estudo realizado pela EY e FGV Projetos indica que o Brasil será o sétimo maior mercado consumidor de energia em 2030, com o consumo de 468,7 milhões de toneladas equivalentes de petróleo (tep). Em 2007, o País ocupava a 11ª posição, com a oferta primária de energia de 223,2 milhões de tep. A pesquisa aponta ainda que, para atender ao crescimento da demanda brasileira de energia, estimado em 3,3% ao ano nas próximas duas décadas, serão necessários US$ 750 bilhões em investimentos.


Consumo

A segunda publicação, Crescimento Econômico e Potencial de Consumo (pdf, 1mb), mostra que o PIB brasileiro terá um crescimento de 150% de 2007 até 2030, passando de US$ 963 bilhões para US$ 2,4 trilhões. Também mostra que o País terá um crescimento médio de 4% ao ano no período, subindo da décima para a oitava posição entre as maiores economias mundiais. De acordo com o estudo, no caminho para 2030, o País precisa encontrar alternativas para equacionar o déficit habitacional e o aumento do número de famílias.


Mercado habitacional

A primeira publicação da série, Potencialidades do Mercado Habitacional (pdf, 1mb), revela que o investimento no setor passará, até 2030, de R$ 165,2 bilhões para R$ 446,7 bilhões. O crédito imobiliário saltará de R$ 25,3 bilhões para R$ 290,4 bilhões no mesmo período. As tendências demográficas e o crescimento da renda até 2030 resultarão no surgimento de cerca de 2,5 milhões de famílias por ano, número superior ao verificado nas últimas décadas, aumentando a demanda por moradias no País.



Download the English versions of the Sustainable Brazil series on the right-hand side menu.