Sustentabilidade

Uma vantagem competitiva

  • Compartilhar

Construir um mundo de negócios melhor- o propósito da EY - significa estimular, inspirar e liderar diálogos com o setor público e privado para promover um ambiente de negócios sustentável. Mais do que um discurso, ou um projeto, a EY entende que desenvolvimento sustentável deve fazer parte dos valores compartilhados da empresa com seus clientes e sociedade, e também estar intimamente relacionado ao modelo de negócio da companhia. 

Para fomentar essa discussão, recebemos nessa semana o sócio da EY na Holanda - Jan-Peter Balkenende, que participa do conselho de Responsabilidade Social da companhia e preside a Coalisão Holandesa de Crescimento Sustentável. Balkenende ocupou de 2002 a 2010 o cargo de Primeiro Ministro do Reino dos Países Baixos e veio ao Brasil debater sustentabilidade com empresas brasileiras e holandesas, como Heineken e Dow Química.

Na manhã da quinta-feira, dia 10, ele abriu o seminário Sustentabilidade como Vantagem Competitiva: Diálogos entre Brasil e Holanda, organizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e Embaixada dos Países Baixos no Brasil. O seminário recebeu ainda a ministra holandesa de Comércio Exterior e Cooperação ao Desenvolvimento, o presidente do Instituto Ethos, o CEO da Braskem, entre outros.

Em seu discurso, Balkenende foi enfático ao dizer que a sustentabilidade está na agenda do mundo. “A crise de 2008 não foi apenas financeira, mas também uma crise moral do sistema privado. Uma empresa não pode mais ter como propósito o lucro, mas o desenvolvimento sustentável, que gere valor para acionistas e também para a sociedade”- comenta.

“A perenidade dos negócios e a atratividade das marcas dependem de transparência e integridade, do desenvolvimento socioeconômico dos países onde atuam e da preservação de recursos naturais. Não basta mais ter um orçamento destinado a caridade. É preciso que sustentabilidade esteja no cerne do negócio – que bancos ofereçam microcrédito para fomentar desenvolvimento, que indústrias busquem formas inovadoras de utilização de matérias primas renováveis, e assim sucessivamente”.