Skip to main navigation

Release Mao - EY - Brasil

  • Compartilhar

Mão de obra altamente qualificada atrai investidores estrangeiros para a Rússia, aponta pesquisa da EY

Número de empregos criados pelo Investimento Estrangeiro Direto (IED) teve alta de 60%

Londres e São Petersburgo, 4 de julho de 2013 – A mão de obra altamente qualificada, o crescente mercado consumidor e as vastas reservas de recursos naturais da Rússia continuam a atrair investidores estrangeiros, de acordo com a terceira pesquisa da EY sobre esse mercado, a Russia Attractiveness Survey.
 
O material traz uma combinação da análise dos investimentos internacionais realizados na Rússia no último ano com uma pesquisa que consultou mais de 200 executivos globais sobre suas percepções em relação às tendências de investimentos para os próximos 10 anos.
 
Em 2012, pelo segundo ano consecutivo, a Rússia recebeu 128 projetos com recursos de IEDs, o que resultou em uma alta de 60% na geração de empregos e uma elevação da média de aportes por projeto. No mesmo ano, a Rússia ficou em segundo lugar em termos de geração de emprego por meio de IEDs, saindo da sexta posição em 2011 e sendo responsável por 8% do total de empregos gerados na Europa.
 
O relatório, lançado por ocasião do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, destaca que os investidores já estabelecidos na Rússia permanecem confiantes sobre o potencial do país e 68% planejam ampliar sua presença. A pesquisa indica ainda que 70% dos entrevistados destacam o grande mercado interno da Rússia como o principal atrativo.
 
Alexander Ivlev, CEO da EY na Rússia diz que "a Rússia conseguiu melhorar a forma de como é percebida pelos investidores em 2012. Entrevistados em nossa pesquisa classificam o país o sexto mais atraente do mundo para os IEDs e o mais atraente dentre a Comunidade dos Estados Independentes (CIS, na sigla em inglês)"
 
Indústria lidera a atração por IEDs
 
A indústria, de longe, é a área que mais conta com projetos de IEDs (60), além de gerar 98% dos postos de trabalho. Os projetos em funções estratégicas também aumentaram, mas ainda permanecem relativamente baixos. O setor automotivo recebeu cerca de 27 IEDs em 2012 e 18 em 2011, e concentrou a maior parte dos empregos criados na indústria. O setor de serviços também aumentou sua representatividade com o segundo maior número de IEDs (17) em 2012.
 
Investimentos provenientes Alemanha dobraram
 
A América do Norte e a Europa continuam a representar a espinha dorsal dos projetos de IEDs na Rússia. Empresas dos EUA (29), Alemanha (28) e França (14) foram os maiores investidores no país em 2012. O número de IEDs da Alemanha dobrou, alavancado principalmente pelo aumento dos aportes de empresas automotivas. Enquanto Moscou e São Petersburgo atraíram o maior número de IEDs, as cidades de Kaluga e Nizhny Novgorod também despontam como potenciais polos de atração de investimentos.
 
As economias emergentes têm se mantido discretas no mercado russo, com apenas 30 IEDs anunciados entre 2007 e 2012 por investidores brasileiros, indianos e chineses. No entanto, o relatório destaca que a Rússia está tentando criar laços mais fortes com os demais BRICs a partir de iniciativas conjuntas para incentivar os investimentos.
 
Energia deve conduzir o crescimento futuro
 
Os investidores continuam a acreditar que o setor de energia vai impulsionar o crescimento da Rússia no futuro. Como Jay Nibbe, líder da EY para EMEIA (Europa, Oriente Médio, Índia e África, na sigla em inglês), explica: "A Rússia precisa se apoiar em uma economia mais equilibrada, que possa oferecer um crescimento sustentável de longo prazo por meio de produtos industrializados de alto valor agregado e novos setores de serviços baseados em modernas tecnologias. Para tanto, a Rússia poderia usar suas receitas provenientes do setor energético para financiar a diversificação e criar novos caminhos para o crescimento".
 
Apesar do significativo sucesso que tem alcançado, os investidores confirmaram que os entraves administrativos e a corrupção ainda impedem a Rússia de desenvolver todo o seu potencial em termos de atração de IEDs.
 
Alexander conclui que "Não há solução rápida para esses desafios. No entanto, os esforços do governo para aumentar a transparência e conduzir a modernização já começaram a surtir efeito. A Rússia melhorou a sua classificação em vários índices de negócios, e a adesão à Organização Mundial do Comércio, bem como outros esforços de integração, podem melhorar o ambiente de negócios para os investidores".
 
Sobre a EY
 
EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria, comprometida em fazer sua parte para construir um mundo de negócios melhor. Os insights e os serviços de qualidade prestados ajudam a criar confiança nos mercados de capital e nas economias do mundo. A empresa desenvolve líderes excepcionais que inspiram suas equipes a entregar excelência a todos seus stakeholders. Dessa forma, a companhia desempenha um papel fundamental na construção de um mundo de negócios melhor para seus profissionais, clientes e comunidades. A EY refere-se a uma ou mais empresas-membro da Ernst & Young Global Limited (EYG), organização privada constituída no Reino Unido, limitada por garantia e que não presta serviços a clientes.

Mais informações em:  www.ey.com.br
Acompanhe em:
@EY_Brasil
#BetterWorkingWorld

Máquina da Notícia
Amanda Trolezi – amanda.trolezi@grupomaquina.com – (11) 2573-4100/ 98490-6252
Priscila Pagliuso – priscila.pagliuso@grupomaquina.com – (11) 3147-7236/ 96341-5193
Diego Sartorato – diego.sartorato@grupomaquina.com – (11)  3147-7401/ 99875 4311
 

EY_foto-press-release
Back to top