Skip to main navigation

Release IFRS - EY - Brasil

  • Compartilhar

Novas regras contábeis trazem mais informações para investidores, destaca EY

Mudanças nos padrões de contabilidade internacional devem afetar especialmente empresas que vendem pacotes de serviços

São Paulo, 9 de junho de 2014 – Após mais de dez anos de discussão, órgãos reguladores dos Estados Unidos e da Europa – International Accounting Standards Board (IASB) e US Financial Accounting Standards Board (FASB) – aprovaram na última semana mudanças para as regras internacionais de contabilidade que devem trazer consenso para a forma de reconhecimento de receitas. Segundo a EY, as mudanças devem afetar todas as empresas e aumentar a quantidade de informações divulgadas pelas companhias.

“As alterações vão elevar a qualidade das informações contábeis e melhorar os dados disponíveis para os investidores”, avalia Paul Sutcliffe, sócio-líder de IFRS da EY.

As novas normas devem começar a valer em 2017, para balanços referentes ao exercício anterior de empresas que adotam o padrão internacional (IFRS) ou o americano (U.S. Gaap - Generally Accepted Accounting Principles). As companhias que precisam computar dois anos de informação comparativa já devem se adequar a partir de 2015.

As mudanças afetam, por exemplo, o momento em que as companhias reconhecem a receita vinda de contratos com consumidores. Assim, as alterações devem afetar especialmente aquelas empresas que vendem pacotes de serviços, como as do setor imobiliário e de construção. “Os novos padrões vão exigir que as empresas mudem a forma que divulgam os contratos com os consumidores, especialmente as que oferecem múltiplos serviços em um único contrato”, afirma Sutcliffe.

Segundo ele, a alteração trouxe também esclarecimento no caso de produtos com pagamentos variáveis — como empresas de transporte, que têm ganhos ligados ao valor do combustível. “A regra anterior não esclarecia se as receitas variáveis poderiam ser contabilizadas ao longo do contrato. Agora a empresa pode estimar no balanço as chances de receber a diferença e reconhecê-la ou não previamente”, destaca.

Dentre outros pontos afetados estão reconhecimento de receita em contratos nos quais o serviço é prestado ao longo do tempo e o reconhecimento das despesas.

O novo padrão deve mudar especialmente o momento quando a receita é reconhecida também para a indústria de telecomunicação, mas todas as empresas devem ser afetadas porque o padrão exige que as companhias divulguem publicamente mais informações de receita em suas demonstrações financeiras para que investidores tenham dados mais completos.

As discussões para se chegar a uma acordo sobre o padrão americano e o IFRS começaram em 2002, na tentativa de ter apenas uma forma de calcular e reportar as receitas. Os órgãos reguladores devem criar um grupo para auxiliar na transição da implementação das novas normas.

Sobre a EY

EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria, comprometida em fazer sua parte para construir um mundo de negócios melhor. Os insights e os serviços de qualidade prestados ajudam a criar confiança nos mercados de capital e nas economias do mundo. A empresa desenvolve líderes que inspiram suas equipes a entregar excelência a todos seus stakeholders. Dessa forma, a companhia desempenha um papel fundamental na construção de um mundo de negócios melhor para seus profissionais, clientes e comunidades. A EY refere-se a uma ou mais empresas-membro da Ernst & Young Global Limited (EYG), organização privada constituída no Reino Unido, limitada por garantia e que não presta serviços a clientes.

Mais informações em: www.ey.com.br

Acompanhe em:
@EY_Brasil
#BetterWorkingWorld

Para mais informações, entre em contato com o Grupo Máquina PR:

Andréia Henriques – andreia.henriques@grupomaquina.com – (11) 3147-7401/ 98325-3695
Amanda Trolezi – amanda.trolezi@grupomaquina.com  – (11) 2573-4100/ 98490-6252
Priscila Pagliuso – priscila.pagliuso@grupomaquina.com  – (11) 3147-7236/ 96341-5193

 

 

EY_foto-press-release
Back to top