Skip to main navigation

Release Women Athletes Global - EY - Brasil

  • Compartilhar

EY lança programa global para apoiar carreira de campeãs olímpicas após aposentadoria das competições

Iniciativa da multinacional cria rede influente de lideranças femininas e esportistas em todo o mundo

Rio de Janeiro, 11 de março de 2013 — Como apoiadora oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a EY lança o “Women Athletes Global Leadership Network”, novo programa para explorar o potencial para os negócios das atletas de elite após sua aposentadoria das competições. O projeto da multinacional de auditoria e consultoria visa criar, de forma percussora, uma rede global e influente de campeãs. A iniciativa visa ainda compartilhar histórias inspiradoras e elaborar pesquisas sobre o impacto do avanço das mulheres no esporte e na sociedade.
 
Estudos vêm mostrando que os esportes ajudam as executivas a desenvolver competências como disciplina, liderança, trabalha em equipe, resiliência, que contribuem para o sucesso profissional. O “Women Athletes Global Leadership Network” irá conectar esportistas que procuram uma carreira promissora fora das arenas, após sua precoce aposentadoria, incluindo as atletas olímpicas que tiveram uma transição bem-sucedida para o mundo dos negócios.
 
A EY também fará a ponte entre as atletas e sua ampla rede de altas executivas e empreendedoras pelo mundo, muitas delas com experiência no esporte. A reunião dessas mulheres tem como finalidade compartilhar lições aprendidas durante o processo de transição de carreira; aconselhar a jornada para o sucesso; inspirar a próxima geração de esportistas e criar oportunidades para expandir o potencial dos negócios comandados por elas. 
 
Para conduzir o programa, a multinacional de auditoria e consultoria encomendou uma pesquisa para ilustrar a conexão entre esporte e liderança e o impacto que o acesso de mulheres ao esporte pode ter na educação, saúde e desenvolvimento global da economia.
 
Além disso, de olho nos Jogos de 2016, a EY irá usar plataformas multimídias para contar histórias de atletas aposentadas e líderes que veem o esporte como alicerce do seu sucesso, a fim de promover avanços na igualdade de gênero em todo o mundo.
 
“A EY tem notado o poder da diversidade e inclusão junto a nossa própria força de trabalho e nós queremos construir um ambiente melhor a partir da expansão de oportunidades para lideranças femininas. Com sua inerente confiança, disciplina, e experiência em trabalho em equipe, as atletas tem um valor inestimável para os negócios, governos e ONGs”, diz Beth Brooke, vice-presidente global de Políticas Públicas da EY, considerada pela Forbes uma das 100 mulheres mais poderosas do mundo. “Nós temos uma longa história de apoio às empreendedoras. O impacto das mulheres nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, foi histórico e nós queremos continuar nesse ímpeto ao ajudar a transformar a elite feminina do esporte em líderes extraordinárias”.
 
Brooke irá levar o debate sobre esse novo programa da EY durante o “Laureus World Sports Awards” - prêmio anual que homenageia os maiores desportistas do mundo – em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, dia 11, no Rio de Janeiro.
 
A força das mulheres no esporte
 

Os Jogos Olímpicos de Londres 2012 inspiraram o novo projeto da EY. Neles, as mulheres representaram 44% dos competidores e pela primeira vez na história das Olimpíadas da era moderna, elas estiveram presentes em todas as categorias esportivas e em todas as delegações de países, incluindo Arábia Saudita, Qatar e Brunei. Para efeito de comparação, em 1908, apenas 37 esportistas participaram das Olimpíadas e a relação entre homens e mulheres era de 53 para um.
 
“Com uma carreira gratificante pós-esporte, as atletas de elite – líderes naturais – podem gerar um grande impacto na próxima geração e em suas comunidades. Entretanto, é preciso desmitificar o temor sobre o momento em que ‘as luzes dos estádios se apagam”, declara Donna de Varona, medalhista olímpica e conselheira da EY nesse projeto. “É muito comum que atletas atinjam o auge de suas carreiras muito jovens ou se dediquem ao esporte por tanto tempo que percam a porta de entrada do mercado de trabalho. Elas precisam de orientação, rede de relacionamentos, e apoio para escrever o próximo capítulo de suas vidas. O programa da EY fará uma grande diferença em suas vidas profissionais depois de suas magníficas contribuição ao esporte”.
 
Além de Donna, ex-presidente da Fundação Mulheres do Esporte, também participam da iniciativa: Nawal El Moutawakel, campeã olímpica e vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional; Anita DeFrantz, medalhista olímpica e presidente da Comissão de Mulheres no Esporte; Deedee Corradini, Presidente do Fórum Internacional de Mulheres; e a brasileira Adriana Behar, medalha de prata nos jogos de Sidney e Atenas, e membro do Comitê Olímpico Brasileiro.
 
Women Athletes Global Leadership Network

 
As fundadoras dessa rede de mulheres líderes ainda estão sendo nomeadas, com representantes dos cinco continentes, assim como as cinco regiões Olímpicas: África, Américas, Ásia, Europa e Oceânia. Após essa nomeação, esses membros deverão identificar mulheres de suas respectivas regiões para participar desse grupo, com o objetivo de ampliá-lo constantemente até os Jogos de 2016.
 
O “Women Athletes Global Leadership Network” será formado por: 

  • Lideranças femininas, incluindo atletas aposentadas das competições, que transformaram o que elas aprenderam no esporte em uma carreira profissional de sucesso;
  • Atletas em atividade que estão em busca de uma nova carreira;
  • Mulheres que desejam aconselhar, apoiar e inspirar outras mulheres a potencializar e direcionar seus pontos fortes. 

O anúncio de hoje baseia-se no compromisso de longa data que a EY tem com o fortalecimento das lideranças femininas, focado no empreendedorismo. O Winning Women, por exemplo, é um programa global, que seleciona um grupo de empreendedoras - cujos negócios apresentam alto potencial de impacto econômico com geração de emprego e renda - e inspiram, apoiam e aconselham sua jornada de crescimento. O programa já é realizado no Brasil (pela primeira vez em 2013), Estados Unidos, Canadá, Indonésia e Austrália.
 
Sobre a EY
 
A EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria. Em todo o mundo, nossos 152 mil colaboradores estão unidos por valores pautados pela ética e pelo compromisso constante com a qualidade. Nosso diferencial consiste em ajudar nossos colaboradores, clientes e as comunidades com as quais interagimos a atingir todo o seu potencial, em um mundo cada vez mais integrado e competitivo.
 
No Brasil, a EY é a mais completa empresa de Auditoria e Consultoria, com 4.900 profissionais que dão suporte e atendimento a mais de 3.400 clientes de pequeno, médio e grande porte.
 
Em 2011, a EY foi escolhida como Apoiadora Oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e fornecedora exclusiva de serviços de Assessoria e Auditoria para o Comitê Organizador. O alinhamento dos valores do Movimento Olímpico e da EY foi decisivo nessa escolha. Visite o site: http://www.ey.com.br
 
Mais informações para a imprensa:
 
Máquina da Notícia - Assessoria de imprensa EY

 
Daniela Loreto – daniela.loreto@grupomaquina.com – (11) 3147-7401/ (11) 98405-6846
Amanda Trolezi- amanda.trolezi@grupomaquina.com – (11) 2573-4100/ (11) 98490-6252
Priscila Pagliuso– priscila.pagliuso@grupomaquina.com–(11) 3147-7401/(11) 96341-5193

foto-press-release
Back to top