The better the question. The better the answer. The better the world works. У вас есть вопрос? У нас есть ответ. Решая сложные задачи бизнеса, мы улучшаем мир. У вас є запитання? У нас є відповідь. Вирішуючи складні завдання бізнесу, ми змінюємо світ на краще. Meilleure la question, meilleure la réponse. Pour un monde meilleur. 問題越好。答案越好。商業世界越美好。 问题越好。答案越好。商业世界越美好。

Transformação Digital, estão as empresas portuguesas preparadas?

Estudo da maturidade digital das empresas em Portugal

A EY acaba de lançar, em parceria com a Nova SBE, um estudo que analisa os níveis de maturidade digital e de confiança das empresas portuguesas em relação ao futuro digital.

De que falamos, quando falamos de Transformação Digital? Da conjugação de tecnologia, inovação e hiperconetividade, resultando na explosão de dados disponíveis e da capacidade de os processar. Do impacto de tudo isto na forma como vivemos, consumimos e trabalhamos. Das implicações para os modelos de negócio e para a estratégia das empresas.

1Como irá a transformação digital afetar o mundo ?

EY - 50% das ofertas

50% das ofertas

A oferta de data scientists só consegue preencher metade da procura de trabalho especializado

EY - $15 Biliões

$15 Biliões

Investimento em Inteligência Artifical anunciado pelo Governo Chinês até 2030

EY - 30 Biliões

30 Biliões

Número estimado de máquinas online e dispositivos conectados na próxima década, desde luzes de trânsito a componentes de veículos autónomos até máquinas de café, sapatos e drones pessoais

EY - Máquinas preditivas

Máquinas preditivas

Investigadores do MIT estão a treinar robots para não só interpretarem como anteciparem comportamentos humanos

2Top Tech Trends a não perder de vista

A nova era de smartphones

É expectável que durante a próxima década ocorra a transição dos dispositivos tradicionais para a próxima era de dispositivos que serão conectados e utilizados através de voz, gestos e toques

Controvérsia sobre os benefícios da Inteligência Artificial

A discussão pública e política, nada consensual, sobre os benefícios e os perigos da adoção generalizada da inteligência artificial manter-se-á, com vozes que contrariam os otimistas e desincentivam as empresas a investir em tais soluções

Incertezas quanto à regulamentação

Haverá uma resposta temporal desadequada dos decisores políticos e outros agentes face ao rápido surgimento de soluções tecnológicas e espera-se que o quadro legal varie entre mais regulamentação e regulação muito restritiva.

Fonte: 2018 Tech Trends Report, Future Today Institute

3Serão as empresas Portuguesas pioneiras ou ingénuas?

Há um otimismo generalizado e confiança na transformação digital e os participantes acreditam estar bem posicionados nos seus processos.

Na opinião dos participantes a transformação digital já se iniciou, encontra-se numa fase inicial e apenas alguns acreditam estarem atrasados face aos concorrentes.

Parecem existir indícios de ideias e de líderes com capacidade para pensar a transformação digital nos seus negócios e nas suas empresas, mas verifica-se um gap significativo entre a formulação estratégica e a sua implementação.

O investimento e adoção de tecnologia parece seguir primeiro uma imitação de outros atores e só depois adequação da tecnologia ao contexto.

As tecnologias digitais mais adotadas pelas empresas são as Redes Sociais e Marketing Digital, Big Data e Analytics, Cloud Computing e IoT (Internet of Things), havendo diferenças setoriais no nível de implementação.

Há quanto tempo iniciou a transformação digital?

EY - Há quanto tempo iniciou a transformação digital?

Há quanto tempo iniciou a transformação digital? (por setor)

EY - Há quanto tempo iniciou a transformação digital? (por setor)
As empresas portuguesas acreditam que têm capacidade para retirar vantagens das competências e tecnologias digitais e que estão bem posicionadas nesse âmbito, face à concorrência.

Nível de desenvolvimento face aos concorrentes e evolução futura

EY - Nível de desenvolvimento face aos concorrentes e evolução futura

A transformação digital não é novidade para a larga maioria dos participantes no estudo. Dos 102 participantes, apenas 5% reporta não ter iniciado o processo, e 10% estar numa fase inicial, sendo que apenas uma empresa reporta não ter qualquer planeamento este âmbito. Das restantes, 40% já iniciou o processo há mais de 5 anos.

Expectativa de evolução futura face aos concorrentes (por setor)

EY - Expectativa de evolução futura face aos concorrentes (por setor)

Os setores que reportam mais atraso são os da distribuição/retalho e o da saúde. Estes setores são os que apresentam a maior proporção de empresas que ainda não iniciou o processo de transformação digital: 30% no primeiro caso e 14% no segundo.

Nível de implementação e de investimento previsto

EY - Nível de implementação e de investimento previsto

O investimento em redes socias e big data é já prática comum em muitas empresas e, apesar de estas tecnologias ainda estarem longe de provar a sua eficácia, a adesão é muito maior quando comparado com as outras.

4Maturidade nas dimensões de transformação digital

O nível de maturidade foi analisado em relação a cinco dimensões, para as quais os participantes reportaram o respetivo nível de desenvolvimento na sua empresa.

Maturidade nas dimensões de transformação digital, por setor

EY - Maturidade nas dimensões de transformação digital, por setor

EY - Experiência do ClienteEY - Estratégia e liderançaEY - Produtos e ServiçosEY - Gestão da informação e riscoEY - Pessoas e Organização

X

Experiência do Cliente
As empresas portuguesas são sensíveis à importância da experiência do cliente, mas metade ainda não está preparada para oferecer customização e controlo da experiência nos diferentes canais digitais

X

Estratégia e liderança
A maior dificuldade existe a nível da implementação de ideias inovadoras, sendo que apenas 46% dos participantes acredita que existe um processo de inovação eficaz para prioritizar ideias e levá-las do conceito para a implementação

X

Produtos e Serviços
A maioria das empresas portuguesas tem uma atitude inovadora perante o mundo digital e já introduziu no seu portfólio produtos e serviços totalmente digitais

X

Gestão da informação e risco
Os níveis de maturidade reportados são relativamente baixos quando comparados com as outras dimensões. Tanto no que respeita ao equilíbrio do portfólio de tecnologias como à gestão de dados, menos de 10% das empresas reporta maturidade elevada e apenas 30% a 40% fazem avaliações acima do ponto médio nesta dimensão.

X

Pessoas e Organização
Mais de 70% dos participantes acredita que na sua organização são promovidos comportamentos importantes para a transformação digital, como sejam a diversidade a partilha de conhecimento e a colaboração interdepartamental

 

5Principais conclusões

  • As empresas reconhecem que os impactos são fortes e imediatos. Os mercados estão a tornar-se superfluidos e os setores de atividade estão a convergir, tornando mais difícil identificar em que mercado estamos e quem são os concorrentes. É urgente agir.
  • Apesar de muitas empresas em Portugal acreditarem estar a fazer digital, poucas ainda se digitalizaram de forma abrangente. Fazer digital não é ser digital. É interessante incorporar as vantagens da tecnologia digital no negócio atual mas é mais importante avaliar até que ponto o digital deve levar a repensar o próprio modelo de negócio.
  • Os investimentos em digital ainda estão a descurar as vertentes de pessoas e organização, gestão de informação e estratégia e liderança. Focar os investimentos nos pilares do digital que fazem mais sentido para o negócio é importante, mas descurar as vertentes de talento e a estratégia cria riscos a médio prazo.
  • As empresas assumem um deficit generalizado de competências internas na área da transformação digital. As políticas de recrutamento e compensação têm de ser repensadas em função das competências futuras. Onde necessário, deve ser avaliado o recurso regular a apoio externo ou mesmo a terceirização de áreas de apoio à transformação digital na empresa.
  • As empresas reconhecem que a transformação digital cria oportunidades para a experimentação de novos produtos e modelos de negócio, bem como para a ativação digital transversal das organizações. Os investimentos em inovação devem incluir o desenvolvimento de processos de open innovation, o desenvolvimento de parcerias e a criação de oportunidades para intrapreneurship, assegurando que o digital está no centro dos esforços.

Contacte-nos

Luís Florindo

EY - Luís Florindo

Associate Partner, Business Development
luis.florindo@pt.ey.com

Telma Franco

EY - Telma Franco

Brand, Marketing and Communications Director
telma.franco@pt.ey.com

Para aceder ao estudo completo, por favor clique na imagem

EY - Download

Connect with us