5 Minutos de leitura 31 jan 2020

De Fortaleza para Campinas: conheça o nosso bumerangue Samuel Bayma

Por

EY Brasil

Organização de serviços profissionais multidisciplinares

5 Minutos de leitura 31 jan 2020

Mostrar recursos

Confira a entrevista com nosso bumerangue Samuel Bayma

Na última edição da newsletter Alumni, iniciamos uma série de entrevistas com nossos profissionais Bumerangues – aqueles que acabam voltando à firma depois de um período na carreira fora da EY. Vamos entender por que eles decidiram voltar e, quais experiências novas eles têm a compartilhar. 

A primeira entrevistada foi Flávia Augusta, gerente sênior de FAAS - Financial Accounting Advisory Services. Agora, vamos conhecer a história de Samuel Bayna, gerente sênior de BTS no escritório de Campinas.

Atualmente, quais são as suas principais responsabilidades na EY?

Como gerente sênior de BTS do escritório de Campinas, eu tenho desenvolvido, principalmente, trabalhos relativos a levantamento de oportunidades tributárias e planejamentos tributários para as empresas situadas em Campinas e demais regiões.

Quando foi a sua primeira passagem pela EY e quando retornou?

Ingressei na EY em agosto de 2011, em GCR, a convite da Maria do Carmo, recém-promovida à sócia, quando assumiu a área de Impostos do escritório de Fortaleza, minha cidade natal. Após seis anos, em agosto de 2017, sai da EY para atuar como gerente de tributos em uma grande indústria cimenteira em Fortaleza. Em julho de 2019, retornei à EY a convite do Ronaldo Marsolla, desta vez no escritório de Campinas

Como foi a sua experiência fora da EY?

A experiência de dois anos fora da EY foi muito importante, pois foi possível aplicar nas minhas atividades diárias como gestor de tributos na empresa, diversos conhecimentos adquiridos ao longo dos anos na EY e também questões relacionadas à gestão de equipe. Atividades que, se não tivesse passado pela EY, não teria conseguido desenvolver.

Do que sentiu falta experimentando outras oportunidades no mercado?

Senti falta do dinamismo, da constante aprendizagem e, principalmente, da atuação em diversos ramos de negócios.

O que te motivou regressar à EY?

O desafio de atuar em outra região que não a minha terra natal e a oportunidade de crescimento na firma.

De que maneira sua experiência fora da EY te ajudou a perceber aspectos positivos da firma que não haviam sido identificados?

Durante o período que fiquei fora EY, eu percebi o quanto a experiência de trabalhar aqui é grandiosa em vários aspectos, principalmente em relação à carreira e aos desafios. A exemplo do que aconteceu, sai da EY pelo desafio de desenvolver a área de tributos na empresa e organizar a casa. Consegui implementar os objetivos e fazer com que a área rodasse de forma consistente, porém, depois disso, não consegui enxergar perspectivas de crescimento e outros desafios.

O que você mais gosta em seu trabalho na EY?

A dinâmica do nosso negócio e os desafios que temos de enfrentar no dia a dia, uma vez que atendemos diferentes ramos de negócios.

Como sua experiência fora da EY contribuiu para a sua carreira e como isso vai te ajudar nesta nova fase na EY? 

Por ter vivenciado, ao longo de dois anos, o dia a dia da área tributária de uma grande empresa, hoje consigo identificar soluções para as necessidades enfrentadas pelos nossos clientes e ser mais assertivo no que oferecer e como oferecer para resolver essas necessidades.

Resumo

Confira a entrevista com nosso bumerangue Samuel Bayma, como parte de nossa serie de Histórias de Alumni!

Sobre este artigo

Por

EY Brasil

Organização de serviços profissionais multidisciplinares