6 Minutos de leitura 1 out 2016
Deserto de turbinas eólicas

Por que os dados de sustentabilidade digital transformarão as divulgações

Eric Hespenheide, da GRI, diz à EY Reporting que estamos no início de uma nova era de divulgações corporativas.

Estamos no auge de uma nova era: a forma como capturamos, analisamos e utilizamos os dados de sustentabilidade está prestes a ser transformada. Estamos passando de uma era em que as informações de sustentabilidade são coletadas e reportadas para uma era em que os stakeholders – incluindo as próprias empresas – usam essas informações para conhecer melhor suas organizações, seus riscos e oportunidades, e para tomar melhores decisões.

Na última década, vimos um aumento dramático no número de empresas que medem seu desempenho em sustentabilidade. Atualmente, existem milhares de organizações monitorando esses impactos e relatando sobre eles todos os anos. Embora o número crescente de divulgações seja certamente uma tendência bem-vinda, devemos garantir que a qualidade e a utilidade dessas informações continuem sendo o foco principal dos relatórios. Dados de qualidade bem projetados devem estar no centro do processo estratégico de tomada de decisão, e isso pode nos levar a uma economia e um mundo mais sustentáveis.

Em resposta a uma ampla gama de desafios sociais e ambientais globais, a comunidade internacional aumentou seus esforços para criar um mundo mais sustentável. Em 2015, foram dados dois grandes passos adiante: o lançamento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e o acordo de Paris sobre Mudança Climática. Estes são princípios importantes com apoio internacional, mas, como em qualquer abordagem baseada em princípios, são simplesmente "promessas" até que entrem em ação e sejam medidos com dados e informações reais para demonstrar progresso real em direção a esses objetivos. Esse é o valor dos relatórios e, com essas metas globais, os dados de sustentabilidade se tornaram mais importantes do que nunca.

Dados digitais sobre sustentabilidade serão a principal ferramenta que orientará nossos esforços para enfrentar as imensas questões da agenda social e ambiental
Eric Hespenheide
GRI

Isso se reflete na análise de tendências da GRI em Sustentabilidade e Relatórios 2025, que estima que os dados digitais sobre sustentabilidade serão a principal ferramenta para orientar nossos esforços para enfrentar as imensas questões da agenda social e ambiental, como mudanças climáticas, direitos humanos, proteção de ecossistemas e gestão de resíduos. A sociedade espera que empresas e governos produzam e compartilhem dados quase em tempo real em plataformas abertas, o que inclui informações sobre seus parceiros da cadeia de suprimentos e também oferece uma visão geral dos impactos totais por região. Esses dados serão fáceis de acessar e analisar.

Mudanças esperadas

As principais conclusões de nossa análise indicam várias mudanças esperadas para as divulgações de sustentabilidade nos próximos 10 anos:

  • Novo formato e múltiplas fontes de informação: Haverá uma mudança formal dos relatórios anuais para a troca frequente de dados de sustentabilidade.
  • Novo conteúdo, novo foco: Isso avançará em direção aos desafios macro enfrentados pela sociedade e colocará a cadeia de suprimentos em destaque.
  • Novo papel para as partes interessadas com informações: Haverá interações quase em tempo real através de vários canais.

Estratégia tecnológica da GRI

Organizações como a GRI estão começando a adotar essa abordagem de liderança e transformá-lo em ação. Em 2015, a GRI embarcou em uma nova estratégia tecnológica que inclui três componentes principais:

1. Convocar líderes para discutir o futuro da sustentabilidade, tecnologia e dados

O GRI Technology Consortium reúne mais de 30 líderes em tecnologia que compartilham o objetivo comum de criar inovações a partir de dados e trazer o movimento de sustentabilidade para a era digital. O consórcio destaca soluções atuais e futuras que usam dados de sustentabilidade para aprimorar a tomada de decisões tanto para empresas quanto para governo, e fornece recomendações ao público sobre sustentabilidade, tecnologia e dados.

2. Transformando ideias em ação

Estamos criando uma plataforma de dados de sustentabilidade para liberar os dados dos relatórios e digitalizar o processo de geração de relatórios. A GRI Digital Reporting Alliance reúne um grupo de empresas que trabalham em dois projetos: criar a infraestrutura técnica e a plataforma para relatórios digitais e acelerar a demanda por eles.

3. Planejando o futuro

Nosso foco está na inovação e colaboração entre organizações do setor público e privado para novos usos de dados e informações de sustentabilidade.

Temos trabalhado por quase 20 anos para ajudar as empresas e outras organizações para identificar, medir e comunicar os seus impactos em uma ampla gama de questões de sustentabilidade. Hoje, também trabalhamos para ajudar as empresas e suas partes interessadas a usar esses dados para fortalecer decisões sustentáveis.

Mas tudo depende de padrões públicos abertos como base para decisões de negócios e políticas. Os padrões têm sido a arquitetura de todas as revoluções de dados da história e não são diferentes para a revolução das informações que o mundo dos relatórios enfrenta atualmente. É por isso que a GRI (por meio do Global Sustainability Standards Board) está tão focada em garantir o desenvolvimento de nossos padrões de sustentabilidade e em garantir que eles continuem sendo oferecidos gratuitamente, como um bem público, para que possam ser integrados a outras estruturas, padrões. e abordagens. Todas essas são abordagens necessárias para garantir que as informações de sustentabilidade sejam mais do que apenas relatadas, mas também se tornem um fator-chave em todas as decisões de negócios e políticas. E não é disso que se trata o relatório?

Resumo

Eric Hespenheide, Presidente da Global Reporting Initiative (GRI), explica por que dados digitais amplamente acessíveis sobre desempenho em sustentabilidade transformarão a divulgação corporativa, fornecendo novas e poderosas ferramentas para a tomada de decisões.