Comunicado de imprensa

30 abr 2019

Estudo mostra as prioridades dos Conselhos de Administração do Brasil para 2019

Levantamento da EY realizado com membros independentes e não independentes de companhias revelou as pautas e prioridades para 2019

São Paulo, março de 2019 – Cada vez mais as empresas precisam atender às expectativas dos investidores, consumidores, funcionários, além da sociedade que exige transparência em relação aos valores e às práticas. Cabe aos Conselhos de Administração (CAs) das organizações desvendar esses cenários que mudam de tempos em tempos, por isso, pela primeira vez no Brasil a EY realizou a pesquisa Center Board Matters para entender as agendas e prioridades dos conselheiros em 2019.

Segundo o levantamento que contou com a participação de membros independentes e não independentes dos CAs, as pautas de 36% deles estão focadas nas demandas da área financeira e contábeis, 32% em estratégia, performance e projeções e 27% estão olhando para os desafios regulatórios, de compliance e riscos.

“A revisão periódica do balanceamento entre as demandas analisadas é fundamental para a contribuição do Conselho de Administração na construção de valor de longo prazo das companhias. A pesquisa demonstra que um pouco menos da metade (40%) dos entrevistados indicaram que já estão trabalhando nessa mudança de agenda e a expectativa é que isso aumente ainda mais no decorrer do tempo.”, avalia Ricardo Belo, sócio de consultoria da EY.

Ainda de acordo com os resultados do estudo, 74% dos conselheiros acreditam que a participação de agentes externos nas reuniões é positiva para o CA. Enquanto 56% deles afirmaram que suas empresas estão envolvidas em ações junto à stakeholders de fora e 37% destacou a presença ocasional de agentes externos nas reuniões.

Lista de prioridades

O estudo da EY também identificou a lista de temas que devem se destacar esse ano nos Conselhos de Administração do Brasil. São eles:

  • Avaliar cenários de futuro diante do dinamismo do ambiente geopolítico e regulatório – as mudanças podem impactar os riscos para os negócios, além apresentar novas oportunidades estratégicas, por isso, a EY recomenda que as empresas adotem uma abordagem proativa e forneçam os recursos necessários para análise da Administração e do Conselho.

  • Aprimorar os debates sobre os propósitos, cultura e talentos – sob a ótica dos CAs esses fatores são responsáveis por impulsionar o desempenho das companhias e contribuem para melhora da marca e reputação. O desafio está na integração dessas características com as expectativas dos profissionais, objetivos da organização e retenção dos talentos. Segundo a EY, é preciso que a alta cúpula, incluindo os Conselhos de Administração, e todos os responsáveis por gestão de pessoas fortaleçam as competências de inovação, criatividade, empatia, capacidade de liderança e a união de seres humanos e máquinas (humanização da tecnologia).

  • Dar o próximo passo na Gestão de Riscos e no Compliance – os fatores geopolíticos, a inovação e novas tecnologias influenciam diretamente na economia global e na criação de vantagens competitivas das empresas. Com isso, a consultoria recomenda que os CAs repensem a estratégia da gestão de riscos e compliance da companhia constantemente, sem esquecer os profissionais capacitados para lidar com essas mudanças.

  • Entender os impactos da transformação digital e mudança nos modelos de negócios na estratégia corporativa – segundo a EY, os Conselhos de Administração devem fazer o monitoramento constante das tendências mercadológicas associadas à transformação digital e mudança nos modelos de negócio que tenham impacto na competitividade da indústria em que a empresa atua. Dessa forma, a estratégia da companhia continuará atraente, além de entregar resultado e criar valor para os acionistas.

A consultoria ainda comparou a relação de prioridades brasileira com a dos Conselhos de Administração dos Estados Unidos e Europa. Mas, apesar de haver algumas similaridades, dois temas vão ganhar maior relevância no exterior: a cultura, estratégia e performance do Conselho de Administração e a comunicação e engajamento com stakeholders.

Sobre a EY

A EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria. Nossos insights e os serviços de qualidade que prestamos ajudam a criar confiança nos mercados de capitais e nas economias ao redor do mundo. Com isso, desempenhamos papel fundamental na construção de um mundo de negócios melhor para nossas pessoas, nossos clientes e nossas comunidades. No Brasil, a EY é a mais completa empresa de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria, com 5.000 profissionais que dão suporte e atendimento a mais de 3.400 clientes de pequeno, médio e grande portes. A EY Brasil é referência na implementação de políticas de mobilidade corporativa, com destaque para o conceito de Escritório do Futuro – local que privilegia a colaboração, a flexibilidade e o engajamento das pessoas por meio de áreas comuns, rotatividade de estações de trabalho e otimização do uso de recursos tecnológicos.

 

Acompanhe em:
@EY_Brasil
#BetterWorkingWorld 

Para mais informações, entre em contato com a Máquina Cohn & Wolfe:

Francine Vechio – francine.vechio@maquinacohwolfe.com – (11) 3147-7489
Lívia Farias – livia.farias@maquinacohnwolfe.com – (11) 3147-7913
Tatiana Souza – tatiana.souza@maquinacohnwolfe.com – (11) 3147-7921