Comunicado de imprensa

7 fev 2020

IoT e 5G são consideradas as tecnologias emergentes mais importantes para impulsionar a transformação digital no mundo

Segundo o Accelerating the Intelligent Enterprise, da EY, 69% dos entrevistados concordam com esta afirmação

São Paulo, 7 de fevereiro de 2020 – Com a chegada do 5G ao Brasil, muitas empresas estão em busca de melhorar suas tecnologias internas a fim de se adequarem à quinta geração de internet móvel, processo que engloba, principalmente, investimentos mais robustos em tecnologia digital. Diante deste cenário, a EY elaborou o Accelerating the Intelligent Enterprise - estudo global que monitorou e avaliou as opiniões de líderes das 27 principais empresas de telecomunicações para os próximos cinco anos - e identificou que 69% deles consideram o 5G e a Internet das Coisas (IoT) como as principais precursoras da transformação digital.

Segundo o estudo, para que tamanha mudança ocorra, será necessário focar na produtividade e na experiência do cliente. De acordo com 48% dos participantes ouvidos pelo levantamento, a melhora do suporte ao cliente é a principal catalisadora para que os processos de automação se tornem precisos e consistentes dentro das empresas. Com isso, a experiência do cliente em si foi destacada como fator essencial para que haja investimentos em análises e Inteligência Artificial (IA) até 2024 por 96% dos líderes.

A preocupação com falta de planejamento a longo prazo se mostrou um dos maiores obstáculos para que o uso da automação seja impulsionado. Para 67% dos entrevistados, a falta de talentos com habilidades adequadas é uma barreira fundamental que impede a implementação de análises de IA. “O ritmo de mudança da indústria de telecomunicação está se acelerando. E como time to market é vital no setor, os grandes operadores não têm outra escolha a não ser se capacitar para oferecer redes 5G e IoT, caso queiram permanecer no mercado”, comenta Carlos Henrique Rocha, sócio de consultoria para Telecom, Mídia e Entretenimento da EY para o Brasil e América do Sul.

Investimentos podem chegar aos US$ 38,9 milhões até 2024

O Accelerating the Intelligent Enterprise demonstra que num período de cinco anos os investimentos em migração da TI convencional para o digital poderão quadruplicar: de US$ 8,1 milhões em 2019 para US$ 38,9 em 2024. Contudo, a previsão para 2020 ainda é baixa: aproximadamente US$ 19 milhões serão investidos em TI convencional e somente US$ 8,3 milhões no digital. O destaque fica para 2021, que aparece como ano promissor, com projeções de queda dos investimentos tecnologia convencional para US$ 14,9 milhões e um aumento que pode alcançar os US$ 23,7 no digital.

“É algo que ainda está em ascensão. As empresas estão percebendo aos poucos a importância de realizarem investimentos em uma nova estrutura de nuvem, sistemas de computação de ponta, redes de entrega de conteúdo e outros elementos. A partir do ano que vem, por exemplo, o montante investido no digital x convencional começará a mudar de figura”, finaliza Rocha.

Sobre a EY

A EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria. Presente em mais de 150 países, tem o propósito de construir um mundo de negócios melhor. Nossos insights e serviços ajudam a criar confiança nos mercados de capitais e nas economias ao redor do mundo. No Brasil, formamos um time de cinco mil profissionais e temos escritórios em 12 cidades. Com o centro de inovação colaborativa wavespace™, o Cybersecurity Center e o Analytics Hub, a EY está preparada para apoiar as empresas na transformação digital e nos movimentos de disrupção da Indústria 4.0.