A tecnologia pode iluminar o caminho, mas você sabe para onde vai?

Quando você escolhe usar o digital – seja para redução de custos, segurança ou inovação – o nível de eficácia é frequentemente determinado pela personalização. 

A transformação digital não virá em uma solução pronta – ela terá um modelo personalizado que será individual para a empresa. E em organizações maiores, isso pode significar que múltiplas abordagens fazem sentido. As empresas de óleo e gás estão sendo pressionadas sobre os preços e sua capacidade de acessar novos ativos. Embora uma estratégia digital possa lidar com algumas dessas pressões, algumas questões maiores permanecem. Por exemplo, quais ferramentas em particular irão conduzir a criação de valor? Como as empresas podem acompanhar a velocidade do turbilhão da inovação? E, talvez o mais importante, que abordagem à adoção de tecnologia permitirá que as empresas não apenas continuem fazendo parte do pacote — mas que acelerem antes da concorrência? Uma mudança incremental é a abordagem correta ou é uma oportunidade perdida?

Não há respostas simples. De fato, uma característica definidora da atual revolução digital em óleo e gás é a falta de soluções simples - e um ponto de partida crucial para a criação de um novo roteiro digital é entender como as empresas estão usando a tecnologia agora e como elas enxergam o futuro da tecnologia de exploração, extração e refino no futuro.

Em última análise, à medida que a tecnologia disponível para o setor amadurece, as empresas devem adotar um olhar crítico ao desenvolver e refinar sua abordagem ao digital. Sem isso, correm o risco de apontar demasiadamente baixo e de perder o potencial transformador das novas tecnologias. Eles também devem abordar os desafios organizacionais que inevitavelmente surgem ao adotar uma abordagem mais ambiciosa. Talvez o mais importante — as empresas devem fazer as perguntas certas no início da viagem, a fim de compreender plenamente o que é possível.

  • Metodologia

    Para obter uma visão aprofundada do estado da digitalização no setor, realizamos uma pesquisa com 100 executivos de empresas de óleo e gás em toda a cadeia de valor. Perguntamos sobre suas abordagens de investimento em novas tecnologias e os desafios que enfrentam ao formular sua estratégia digital. Explorámos as áreas de consenso, bem como os principais pontos de debate. Também examinamos quais ferramentas os executivos acreditam que têm maior potencial para seus negócios e quais são as que apresentam riscos mais significativos.

    Os resultados da nossa pesquisa revelam uma indústria que começa a compreender as possibilidades verdadeiramente mutáveis que a tecnologia oferece. Os entrevistados mencionaram as oportunidades oferecidas pelas máquinas autônomas, que podem entrar em ambientes operacionais perigosos no lugar dos trabalhadores humanos. Eles discutiram novas ferramentas de exploração que permitem às empresas de upstream explorar depósitos de energia anteriormente escondidos. Manifestaram também interesse em tecnologias promissoras que permanecem em fases iniciais de desenvolvimento, como a blockchain.

    Ao mesmo tempo, nossa pesquisa sugere que os executivos podem estar limitando o escopo de suas estratégias de forma muito restrita. Há uma tentação para os membros das equipes de tecnologia se concentrarem exclusivamente em uma ferramenta de cada vez que se mostre promissora. À medida que a complexidade do espaço digital aumenta, as soluções integradas podem ser os vencedores mais prováveis.

Os prestadores de serviços são bons para começar, mas você precisa ter seu próprio modelo. A digitalização no final do dia se tornará uma prioridade máxima.

Modelo molecular do Laboratório de Química de Alunos
(Chapter breaker)
1

Capítulo 1

Como se extrai o insight de um hidrocarboneto?

A maioria dos inquiridos está ansiosa por investir mais no digital, com urgência para conter os custos e proporcionar um maior retorno do capital.

Uma das chaves para as ambições de crescimento da indústria de óleo e gás reside na liberação de gastos de capital em tecnologia. E os resultados da nossa pesquisa refletem isso – a maioria dos nossos entrevistados está ansiosa para investir mais em digital, com uma necessidade urgente de conter custos e proporcionar um maior retorno sobre o capital.

Quase nove em cada 10 entrevistados da nossa pesquisa (89%) esperam que seu investimento em ferramentas digitais aumente nos próximos dois anos, com um trimestre (25%) prevendo um salto significativo. Apenas 11% vêem o investimento ficar estagnado e, significativamente, nenhum o vê em declínio.

"Não é surpreendente que o resultado final seja sobre se tornar mais eficiente", diz Ioana-Andreea Ene, uma parceira da EY sediada na Noruega. "A eficiência é a prioridade máxima porque dá acesso a investimentos e ao mercado." 

Investimentos em ferramentas digitais

89%

Quase nove em cada dez entrevistados esperam que seu investimento em ferramentas digitais aumente nos próximos dois anos, com um trimestre prevendo um aumento significativo.

Além disso, uma pluralidade de entrevistados (48%) disse que suas empresas investem mais em inovação digital quando têm capital disponível. Dado o recente período de subida dos preços da energia, tal poderá ajudar a explicar a intenção declarada dos inquiridos de aumentar o investimento nos próximos anos.

what effect do margins have on you companys pace of digital innovation

De acordo com Keith Strier, líder global da EY para inteligência artificial nas Américas, a tecnologia digital tem o potencial de oferecer muito mais do que melhor eficiência. E para atingir metas mais ambiciosas, as empresas devem estar dispostas a atingir metas mais elevadas. "Se a meta é apenas extrair eficiência, o sol vai se pôr nesse objetivo", disse ele. "Se fizer a pergunta errada no início da sua viagem, vai apontar para o alvo errado." 

Algumas empresas estão começando a reconhecer que o argumento para adicionar recursos por meio de ferramentas digitais é convincente. Um executivo de uma empresa de E&P dos EUA disse que a capacidade de obter informações mais detalhadas do que nunca representa uma vantagem competitiva definitiva. Juntamente com a obtenção de poder para visões granulares e sem precedentes das operações, a tecnologia digital fornece acesso a informações de melhor suporte para a tomada de decisões estratégicas.

  • Programa piloto de tecnologia digital da BP

    Em um exemplo das recompensas oferecidas por novas ferramentas, no campo de gás tight da BP Wamsutter, em Wyoming, a gigante do óleo e gás lançou um programa piloto destinado a encontrar maneiras de reduzir as emissões de metano. Normalmente, o gerenciamento do campo envolve o envio de bombeadores em caminhões para verificar fisicamente a saúde dos 2.500 poços. Cerca de 180 poços foram equipados com sensores que coletaram e transportaram um fluxo constante de dados sobre quebras de peças e bloqueios de tubos. Usando algoritmos baseados em IA desenvolvidos pela start-up Kelvin do Vale do Silício, os supercomputadores processaram os dados para criar modelos de otimização. 1

    Os resultados iniciais foram promissores: 74% menos emissões de gases com efeito de estufa, bem como uma redução de 22% nos custos operacionais e um aumento de 20% na produção dos poços envolvidos.

    A BP também tem vindo a impulsionar o crescimento através de técnicas de exploração avançadas. A empresa recentemente utilizou seu enorme supercomputador para determinar se um pedaço significativo de óleo estava a milhares de metros de profundidade no Golfo do México. O processo envolveu algoritmos e um relatório de duas semanas de monopolização do poderoso dispositivo na tarefa. O resultado foi a descoberta de um campo petrolífero contendo cerca de 200 milhões de barris que permaneciam inexplorados numa área onde a BP tinha passado anos a colher. 2

Alinhamento de todas as partes da máquina comercial

Para muitas empresas, no entanto, subir a novos patamares exigirá a resolução de conflitos internos relativos à estratégia digital. Isso sugere que, na maioria das vezes, há alguma discordância entre funcionários em relação à estratégia digital.

in your opinion how aligned is your vision for the companys digital technology investment with the views of the other senior management

De acordo com o gerente sênior da EY, Kanishka Banerji, uma parte importante da alavancagem digital de uma perspectiva C-suite é introduzir capacidades e desbloquear valor de uma forma que pode não ter sido possível no passado. "O digital normalmente permite que você desbloqueie mais de 30% do valor em apenas alguns anos. Quando bem feito, uma empresa vai saltar outras que já estão fazendo algo digital", diz ele. "Ele introduz novos recursos e permite que você trabalhe de novas maneiras, desbloqueando significativamente mais valor do que você obteria através da excelência operacional tradicional ou de iniciativas de melhoria contínua.

what is the return threshold for digital investments

Felizmente, os benefícios das novas tecnologias muitas vezes vão além do balanço patrimonial. As melhorias na segurança, por exemplo, também tendem a ter um impacto financeiro positivo, seja pela redução do pagamento de indenizações aos trabalhadores graças a uma menor taxa de acidentes, seja por evitar o custo de reparos em refinarias devido a um melhor monitoramento dos equipamentos, entre outras medidas.

Navio-tanque petroleiro de exportação marítima Ásia
(Chapter breaker)
2

Capítulo 2

A tecnologia é a sua estratégia ou ponto de partida?

Veja quais tecnologias digitais deverão ter o maior impacto positivo nas empresas dos entrevistados.

As empresas de óleo e gás procuram cada vez mais a tecnologia digital como forma de aumentar a produtividade e obter vantagens competitivas. A fim de obter uma visão mais completa das estratégias das empresas em relação a estas tecnologias, perguntámos-lhes quais as que estão em processo de implementação, bem como quais as que irão implementar num futuro próximo. Também questionamos as empresas sobre os impactos positivos percebidos e os riscos negativos que envolvem essas ferramentas.

O futuro será automatizado

Quando se trata das tecnologias digitais que se espera que tenham o maior impacto positivo nos negócios dos entrevistados nos próximos cinco anos, a automação de processos robóticos (RPA) está empatada com a mais alta. Além disso, 75% dos inquiridos referiram quais as tecnologias que estão implementando e citaram a RPA.

O Strier da EY atribui a pontuação relativamente alta de adoção da tecnologia robótica à familiaridade pré-existente da gerência com ela. Entre as muitas empresas que já utilizam a robótica, a gigante dos serviços de campo petrolífero, Schlumberger, está testando uma sonda de perfuração robótica que acredita que reduzirá 30% das horas de mão-de-obra e a quantidade de tempo necessária para concluir um poço de petróleo na mesma porcentagem. 3

No entanto, Strier enfatizou que a complexidade pode crescer exponencialmente à medida que as tarefas se tornam mais desafiadoras. "Quando você começa a criar camadas em formas mais avançadas de automação usando IA, visão computacional e processamento de linguagem natural, você não está criando regras – você está apontando para cognição humana. E isso segue um caminho completamente diferente do da TI empresarial e tradicional", disse ele.

which of the following technologies do you expect to have the greatest positive impact on your business over the coming five years
O valor é alcançado através da junção de ferramentas para resolver problemas específicos do negócio. Inevitavelmente, a resposta certa não vai ser um robô ou um algoritmo, vai ser uma combinação dos dois.
Keith Strier
Líder de Consultoria de AI da EY Global e da EY Americas

Sistemas conectados para trazer recompensas — e riscos

Uma pluralidade significativa de respondentes chamada IoT — que permite que as empresas transformem seu gerenciamento de ativos usando soluções preditivas, implementando big data— está como a mais arriscada de qualquer tecnologia. De acordo com a Ene da EY, ela é vista em alguns quadrantes como uma "Caixa de Pandora" potencial, devido ao fato de conectar sistemas que datam dos anos 80 e 90 com sistemas mais recentes.

Embora os sistemas mais antigos possam ter sido inicialmente seguros porque estavam operando de forma autônoma, Ene diz que agora é necessário abrir um tubo de dados que possa levantar problemas de segurança cibernética. "Quando ele estava trabalhando em esplêndido isolamento, tudo bem, mas como você vai construir um muro ao redor dele para não comprometer toda a plataforma?

which of the following technologies is your company currently implementing

O elevado potencial de nuvens no céu

Entre os entrevistados, 20% previram que a nuvem teria o maior impacto nos seus negócios nos próximos cinco anos. A nuvem também está presente mais fortemente entre todos os tipos de tecnologia que as empresas estão atualmente implementando, com 98% citando-a como uma ferramenta que já utilizam.

As aplicações de nuvem têm atraído um interesse considerável, com gigantes da tecnologia, como o Google e Microsoft em parcerias com empresas petrolíferas no ano passado para entregar soluções de nuvem para a indústria de óleo e gás. Por exemplo, a empresa petrolífera norueguesa Equinor, anteriormente conhecida como Statoil, anunciou um acordo com a Microsoft, em junho de 2018, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de serviços de TI "adequados à finalidade". 4

Acima de tudo, as empresas devem pensar em tecnologias holisticamente. De acordo com o Strier da EY, "O valor é alcançado através da junção de ferramentas para resolver problemas específicos de negócios", disse ele. "Inevitavelmente, a resposta certa não vai ser um robô ou um algoritmo, vai ser uma combinação dos dois. Você vai ter alguns bots, alguns algoritmos de aprendizado de máquina, alguns modelos de dados, algumas máquinas, e todos eles vão trabalhar juntos".

"A narrativa está além da ferramenta", continuou Strier. "Trata-se realmente da integração de todo o espectro da tecnologia."

Lance Mortlock, líder nacional de serviços de estratégia de óleo e gás do Canadá da EY, concorda: "A questão é menos sobre qual tecnologia usar e mais sobre como a tecnologia possibilita o processo de negócios e as capacidades das pessoas".

Atualização dos principais elos da cadeia de valor

Para a maioria (55%) dos entrevistados da pesquisa, a principal prioridade para o investimento na cadeia de valor são as operações. Não deve surpreender que as operações sejam o foco principal das empresas do setor – elas representam o maior centro de custo e, portanto, um alvo preferencial para a busca de eficiências. De fato, a principal atração da tecnologia digital para muitas empresas de óleo e gás é a oportunidade de reduzir sua dependência de operações manuais caras e demoradas.

Vejamos o setor petrolífero não convencional. Em operações terrestres tradicionais nos EUA, os operadores gastam um número enorme de horas e pessoas no local do poço. O tempo e a despesa associados a esta atividade manual levaram alguns operadores a usar centros de operação remota (ROCs), que utilizam sensores para fornecer dados sobre a operação de poços. O risco operacional também é substancialmente reduzido pelos ROCs, que podem monitorar continuamente todos os locais para garantir que os poços e instalações estejam operando sem problemas de produção ou vazamentos.

A produtora norueguesa Equinor lançou uma série de ROCs nos últimos anos, e em novembro de 2017 abriu sua primeira sala de controle para operação remota completa de uma plataforma, a Valemon no Mar do Norte. "Em novos desenvolvimentos de campo, a produção de petróleo e gás será, cada vez mais, realizada a partir de instalações não tripuladas, robotizadas, padronizadas e controladas remotamente", disse Jannicke Nilsson, COO da Equinor, anunciando a abertura de um centro de suporte de operações integradas em Bergen em março de 2018.5

Em última análise, uma abordagem estratégica é geralmente melhor quando se considera a estratégia de investimento na cadeia de valor, uma vez que os esforços de mudança muitas vezes impactam múltiplas áreas do negócio. Por exemplo, essas mesmas ROCs podem proporcionar oportunidades para as empresas de óleo e gás melhorarem o seu desenvolvimento de recursos humanos, dada a reduzida utilização de mão-de-obra no local. Menos equipes de tripulações equipadas equivale a um melhor uso dos recursos humanos para focar em atividades de otimização de valor agregado.

Indo além das operações

Prioridades secundárias na cadeia de valor são manutenção e confiabilidade (25%) e logística e cadeia de suprimentos (19%) – mas 96% dos entrevistados estão planejando investir nessas duas áreas também. Está sendo dada menos atenção ao financiamento e aos recursos humanos, embora uma maioria tenha afirmado que iria dedicar pelo menos algum capital a estas áreas.

in which parts of your value chain do you plan to invest in digital technology

De acordo com a Ene da EY, a blockchain poderia dar às companhias petrolíferas nacionais (NOCs) uma verdadeira rastreabilidade dos seus produtos. "Os NOCs querem desenvolver os seus próprios países, pelo que o conteúdo local é importante. E usando blockchain, tudo é visível para todos", disse ela.

Da produção à refinação

Dentro da cadeia de valor a montante, a maior proporção média dos gastos dos entrevistados com tecnologia digital vai para exploração e avaliação (38%). A produção foi a segunda maior em seguida, com uma média de 26% do total de despesas dos entrevistados, seguida pela conclusão da perfuração em 19%.

percentage of respondents digital technology spend devoted to different parts of the upstream value chain

Um executivo de uma empresa petrolífera integrada canadense disse que eles estavam focados em melhorar áreas que receberam menos capital historicamente. "Atividades como comércio, marketing e varejo já são suportadas por ferramentas digitais, como análise de dados automatizada. Agora precisamos priorizar os investimentos em atividades de refino, processamento, armazenamento e transporte, onde a próxima safra de tecnologias pode abordar questões-chave".

Olho com circuitos
(Chapter breaker)
3

Capítulo 3

Os projetos serão medidos em bot-hours ou man-hours?

Explore os métodos que os questionados estão usando para acessar novas tecnologias.

Uma parte crucial da criação de um roteiro digital para o óleo e o gás é a escolha dos meios – ou seja, como exatamente você irá percorrer o caminho para um futuro avançado. Os tipos de investimento escolhidos pelas empresas desempenham um papel importante na navegação por este caminho.

percentage of respondents digital technology spend devoted to different types of investment

"Acredito que é um sinal saudável que as empresas reconheçam que não precisam desenvolver tudo internamente", disse Ene, da EY. "A beleza da nova onda digital é que ninguém vai perder o emprego porque tentou uma certa tecnologia para um projeto. As ferramentas são muito, muito mais baratas do que costumavam ser, por isso não há problema em tentar algo e falhar. Você segue para o próximo grande projeto."

Neste novo ambiente, um dos maiores desafios é decidir quando fazer um investimento mais significativo numa determinada área. Entre os entrevistados da pesquisa, 41% disseram que obter alinhamento no roadmap digital da equipe executiva e do conselho de administração foi outro dos principais problemas estratégicos enfrentados por eles.

"Eu acho que ainda há uma falta de confiança em vários níveis executivos seniores sobre quais tecnologias merecem mais atenção", disse Strier da EY. "Os primeiros adotantes que gostam de estar na frente vão dar o mergulho, mas se você é uma empresa mais cautelosa e está no negócio há décadas, a administração quer ter certeza de que alcançarão valor com um determinado investimento".

A terceirização pode funcionar no início, mas, em última instância, as empresas precisam construir capacidades internas. Os prestadores de serviços são bons para começar, mas você precisa ter seu próprio modelo. A digitalização no final do dia se tornará uma prioridade máxima.

Barreiras à integração

36%

De acordo com nossa pesquisa, a maior barreira é a dificuldade em integrar novas ferramentas com soluções e sistemas existentes, citada por 36% dos entrevistados.

Manter a velocidade numa curva de aprendizagem íngreme

Existem também obstáculos significativos à entrada de prestadores externos. De acordo com nossa pesquisa, a maior barreira é a dificuldade em integrar novas ferramentas com soluções e sistemas existentes, citada por 36% dos entrevistados.

what is the biggest challenge of or barrier to using service providers for digital technology applications
what is the greatest operational challenge your company faces in adopting new digital technologies
what is the greatest technical challenge your company faces in adopting new digital technologies

Os "agregadores" das novas tecnologias

No entanto, os prestadores de serviços não são a única opção quando se trata de adotar novas tecnologias – e dividir a parcela de investimento não é tarefa fácil. Uma pluralidade de nossos entrevistados (50%) disse que encontrar o equilíbrio certo entre os diferentes tipos de investimento representa um dos dois principais desafios estratégicos que eles enfrentam na adoção de novas tecnologias.

Em média, nossos participantes da pesquisa disseram que dedicam 25% de seu investimento em tecnologia a aquisições, e algumas empresas – especialmente as principais – certamente estão usando M&A para expandir suas capacidades. Serviços de campos petrolíferos e gigantes industriais como a Halliburton, Schlumberger e o Grupo ABB, em particular, foram determinados compradores, atuando como "agregadores" de tecnologia emergente.

Em um negócio recente, a Schlumberger adquiriu a norueguesa Wellbarrier, uma empresa privada de software que usa uma ferramenta patenteada para criar ilustrações de barreiras de poços, por uma quantia não divulgada em julho de 2018. Empresas integradas de óleo e gás também estão fazendo transações – por exemplo, a principal empresa francesa Total anunciou em junho de 2018 a aquisição da WayKonect, uma desenvolvedora francesa de software de gestão de frotas.

Para as grandes empresas, desenvolver capacidades internas também é um esforço realista, e pode pagar sérios dividendos. A maior vantagem que nossos entrevistados citaram no desenvolvimento de tecnologia interna é a promoção de uma cultura interna de inovação (39%).

Por exemplo, a maior companhia anglo-holandesa Shell vê a inovação e a tecnologia como vitais para fornecer uma combinação mais ampla e sustentável de recursos energéticos para a crescente população mundial. A Shell gasta atualmente cerca de US$1 bilhão por ano em P&D para transformar idéias em tecnologias comercialmente viáveis. A maior parte da pesquisa da Shell concentra-se a curto prazo, para ajudar seus negócios atuais a reduzir os custos de capital e operacionais, melhorar os produtos e serviços dos clientes e comercializar tecnologias para a transição para um futuro energético de baixo carbono. A Shell opera uma rede global de centros de tecnologia, com importantes centros em Houston, Amsterdã e Bangalore. 6

Em alguns casos, no entanto, os custos da criação de novas ferramentas internas superam os benefícios potenciais. Especificamente, nossos entrevistados citaram desvantagens, como prazos de entrega longos (24%) e um custo proibitivo de investimento (22%).

O importante fator humano

Quer uma empresa se concentre na construção de relações com prestadores de serviços ou na criação de tecnologias a partir do zero, as questões de recursos humanos são fundamentais.

what is the biggest challenge you currently face in establishing a team of digital technology experts at your company

"Para todas essas tecnologias brilhantes, trata-se realmente de como você envolve seus funcionários existentes e como você se torna atraente para as novas gerações que estão chegando", disse Ene, da EY. "Em palavras simples, como é que vamos tornar o óleo e o gás atrativos para os recém-formados? Como estamos se envolvendo no recrutamento da população jovem?"

A EY's Williams concorda. "Uma empresa digital começa com as pessoas. Têm de ser não só digitais, mas também não- digitais."

Isso reforça o fato de que, apesar do aumento da automação, o fator humano permanece crucial para a digitalização na indústria.

Conclusão

A ardente busca de eficiência da indústria de óleo e gás não está prestes a retroceder em paralelo com o fortalecimento do clima de preços das commodities. O foco no custo está fortemente ligado ao DNA corporativo após mais de três anos de preços baixos que forçaram os executivos a assumir compromissos de gastos. A agenda da eficiência está  moldando a forma como a indústria encara o investimento em tecnologia e qual a sua potencial aplicação.

Resumo

O digital é um processo de tomada de decisão melhorado, mais eficaz e mais rápido. Para chegar lá, você precisa aproveitar a tecnologia, a conectividade e os dados de uma forma eficaz. Quebrar silos em toda a cadeia de valor é uma forma útil de tomar decisões integradas, melhor informadas e agregadoras de valor.