Você pode criar valor no futuro com habilidades de liderança do passado?

Por

Alison Kay

EY Global Accounts Committee Chair

Trabalhando nas maiores contas da EY. Defensora de uma força de trabalho diversificada. Pianista. Adora velejar.

4 Minutos de leitura 16 dez 2019
Related topics Fórum Económico Mundial

Mostrar recursos

Hoje, na Era da Transformação, os líderes inclusivos ajudam a impulsionar o desenvolvimento de um modelo de negócios sustentável.

Quando me tornei sócio, "comando e controle" era o estilo de liderança de fato no mundo dos negócios. Isso mudou. Hoje, a liderança é sobre feedbacks, colaboração e trazer à tona o melhor das suas equipes.

Como enfrentamos desafios globais complexos como o poder transformador das tecnologias avançadas e as mudanças climáticas, ninguém espera que os líderes tenham todas as respostas. Em vez disso, eles querem que a liderança articule um propósito claro para o negócio que eles podem apoiar. Eles querem saber que as suas contribuições serão valorizadas. 

A liderança inclusiva constrói a coesão social à medida que todos se unem para construir valor a longo prazo para o negócio.
Alison Kay
EY Global Accounts Committee Chair

A liderança inclusiva constrói coesão social à medida que todos se unem para construir valor a longo prazo para o negócio e – com serviços como o nosso – para os clientes.

Divisão geracional ou diversidade geracional?

Hoje existem quatro gerações no local de trabalho: os tradicionalistas/ geração silenciosa, os baby boomers, Geração X e milennials, cada um com as suas próprias experiências e preferências.

Estas diferenças podem ser uma grande força – ou uma grande fraqueza – dependendo de como elas são geridas. Como todos sabemos, a diversão de uma geração pode ser a fricção de outra (mencione a palavra selfie aos pós-milennials para um exemplo rápido).

Não que a frustração não ocorra dentro de uma geração – longe disso. Enquanto cada geração tem tendências e experiências culturais comuns, os indivíduos dentro dela permanecem exatamente isso – indivíduos, cheios de complexidade e contradições.

Ao se concentrarem no que as pessoas compartilham – o propósito do negócio – os líderes podem canalizar a diversidade e desencadear inovações. Embora possa ser desafiador, por vezes, gerir diversos pontos de vista, o payoff é mais completo, com soluções mais robustas.

A tecnologia pode agravar a desigualdade?

Vivemos em tempos de transformação, pois tecnologias avançadas – alimentadas por enormes quantidades de dados – estão permitindo novas formas de vida e de trabalho. Nos cuidados de saúde, a inteligência artificial (IA) está sendo usada para detectar pneumonia em 10 segundos ao invés de 20 minutos. Na indústria de energia, os serviços públicos estão usando dados em tempo real nas redes digitais para prever e prevenir apagões. Nas cidades, os governos locais estão usando dados de tráfego em tempo real, meteorológicos, acidentais e geográficos para encaminhar o tráfego, prever acidentes e melhorar a segurança.

Em meio a essa transformação, enfrentamos o risco de que esses avanços nos fragmentem. É isso que os inimigos da globalização cobram, que muitos foram deixados para trás. E é frequentemente uma acusação contra o mundo da tecnologia – que seu desenvolvimento, conjuntos de dados e testes são muito limitadis. Muito está sendo desenvolvido por equipes que não são representativas da sociedade.

Então, como podemos garantir que a tecnologia satisfaz as necessidades de todos, independentemente da idade, sexo, etnia ou capacidade? Como evitar a criação de "refugiados digitais" e trazer toda a sociedade?

Como podemos garantir que a tecnologia satisfaz as necessidades de todos? Como evitar a criação de "refugiados digitais" e trazer toda a sociedade?

As empresas de tecnologia reconheceram este desafio, mas será preciso todos nós – grandes empresas de tecnologia, o resto da comunidade empresarial, governo e educadores – para o resolver.

A liderança inclusiva cria valor a longo prazo

As pessoas querem e esperam que os líderes empresariais se envolvam e ajudem a resolver os maiores problemas da sociedade, tais como a resolução da divisão digital, para que a tecnologia beneficie a todos. Eles querem uma liderança ativa que coloque a sustentabilidade acima do curto prazo.

Então, como é que as empresas líderes estão fazendo isso? Na minha experiência, há três áreas-chave de foco para melhorar a inclusão:

  1. Entender dados e abraçar novas tecnologias: Os principais investimentos em tecnologia nos últimos dois anos têm sido a IA, a nuvem, a análise de dados e a Internet das Coisas. Ter equipes centrais de especialistas em tecnologia e dados é uma coisa; construir tecnologia e "alfabetização" de dados em todo o resto da força de trabalho é outra. Você precisa tanto desafiar o status quo quanto reimaginar o futuro.
  2. Adotar uma mentalidade de aprendizagem: Dada a velocidade da mudança, pode ser um desafio para acompanhar o ritmo. O que é necessário é uma mentalidade de aprendizagem ao longo da vida em cada geração. Todos precisamos ser curiosos, experimentar e nos perguntarmos. Aprender, evoluir e se adaptar: essas são competências críticas para o futuro.
  3. Em busca de diversidade: Com tanta coisa em jogo, as melhores soluções virão de uma fusão de diversos pontos de vista. E a melhor maneira de construir um ambiente onde diferentes perspectivas são expressas é encorajar as pessoas a trazerem o seu eu autêntico para o trabalho – e a apoiá-las quando o fizerem.

Acredito que espalhar o crescimento econômico de forma mais uniforme é uma questão chave do nosso tempo. Os líderes que incorporam essas qualidades em sua força de trabalho estão estabelecendo as bases para o crescimento econômico inclusivo e sustentável no futuro, para o bem de todas as partes interessadas.

Quando você vai passar de ambição para ação a longo prazo? Junte-se a EY para discutir questões econômicas e sociais prementes enquanto aguardamos a Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial 2020 – de 21 a 24 de Janeiro. Participe da conversa em  ey.com/wef  e usando #WEF20 e #BetterWorkingWorld

Resumo

A liderança inclusiva ajuda as empresas a alcançar seus objetivos, fomentar o crescimento e construir valor a longo prazo – todos os blocos de construção do tipo de crescimento sustentável que beneficia todas as partes interessadas.

Sobre este artigo

Por

Alison Kay

EY Global Accounts Committee Chair

Trabalhando nas maiores contas da EY. Defensora de uma força de trabalho diversificada. Pianista. Adora velejar.

Related topics Fórum Económico Mundial