4 Minutos de leitura 17 mai 2018
man woman looking touch screen display data

Como as empresas podem manter o toque humano na Era Digital

Por Alison Kay

EY Global Accounts Committee Chair

Trabalhando nas maiores contas da EY. Defensora de uma força de trabalho diversificada. Pianista. Adora velejar.

4 Minutos de leitura 17 mai 2018
Related topics Digital Workforce AI

Na Era da Transformação, as empresas precisam decidir: o que mantemos humano e o que digitalizamos?

Pense um pouco em William Lee, inventor de uma máquina de tricô para meias em 1589, que foi recusada pela rainha Elizabeth I. A rainha britânica recusou uma patente em deferência a seus “súditos pobres”, que ficariam sem trabalho e seriam “levados à ruína”.

Desnecessário dizer que o progresso não foi interrompido. Lee simplesmente atravessou o Canal e teve mais sorte com Henrique IV. Anos mais tarde, suas e outras invenções, tais como a jenny fiada, teares mecanizados e máquinas de costura, revolucionaram a indústria têxtil.

Estamos hoje perante uma nova ronda de transformações tecnológicas generalizadas. O gênio da automação inteligente está fora de questão: alimenta aplicações de partilha de viagens e carros sem condutor e recomenda quais os livros e filmes que podemos apreciar. Isto traz novos desafios. As empresas precisam decidir: o que mantemos humano e o que digitalizamos?

A automação passou do físico para o mental. Redes neurais e aprendizado de máquina significam que os computadores estão descobrindo conhecimento por si mesmos. Em essência, nós os alimentamos com um mar de dados e eles ensinam a si mesmos (e a nós) o que isso significa.

Isso significa que a automação irá substituir as pessoas? Acho que não. É improvável que se percam todas as ocupações. Em vez disso, as tarefas dentro dos trabalhos serão automatizadas e a maioria dos trabalhos serão redefinidos.

A força de trabalho está mudando:

Por exemplo, na EY, trabalhamos em parceria com a fornecedora de RPA Blue Prism para desenvolver bots de software para trabalhar com nosso pessoal em recursos humanos (RH), viagens e contabilidade. Esperamos que esses 700 bots de software nos economizem 2,1 milhões de horas neste ano fiscal, apenas um exemplo de como humanos e máquinas estão trabalhando juntos.

Embora compreender o que a tecnologia pode fazer seja uma obrigação, compreender a inteligência humana também é. Nossa inteligência combina habilidades cognitivas e sensoriais, algo com que a IA - apesar de sua velocidade e poder computacional - ainda luta.

Há atributos que são exclusivamente humanos, e os papéis que dependem dessas qualidades continuarão a precisar que as pessoas os realizem. Um desses atributos é a ingenuidade, a capacidade de usar as coisas de novas maneiras. Quando foi a última vez que um robô te surpreendeu? Não é para isso que foram concebidos. Mas as pessoas estão sempre a nos surpreender. Inventamos coisas, juntamos ideias aparentemente incompatíveis e criamos algo inteiramente novo.

A empatia é outra. Pense na diferença que um bom médico pode fazer à sua saúde. Ou como o seu professor favorito te fez sentir. Ou da última vez que alguém do serviço ao cliente te fez sorrir. As pessoas fazem isso. As máquinas não podem.

Depois há a análise. Os computadores podem fazer o que é lógico, mas às vezes isso não dá a resposta certa. Uma pessoa em luto deve ser sujeita a condições estritas de pagamento de um empréstimo? As crianças autistas que não gostam de ser tocadas devem ser punidas por terem emoções quando são tocadas? Os humanos são capazes de análisar circunstâncias atenuantes.

Juntas, essas habilidades nos permitem ser bons em resolver problemas criativos e pensar "fora da caixa", ser bons no trabalho em equipe e inspirar as pessoas. O valor dessas habilidades só pode aumentar à medida que a IA amadurece.

O que as empresas podem fazer?

Mais do que nunca, as pessoas querem encontrar conexões humanas e um propósito no trabalho. Precisamos treinar nossos funcionários para que eles saibam o que esperar, equipá-los com as habilidades que precisam e usar a tecnologia para apoiar nossa visão do futuro que queremos.

Na EY, temos um sistema chamado EY Badges, que dá ao nosso pessoal credenciais digitais em habilidades que o diferenciam, como visualização de dados, IA, transformação de dados e estratégia de informação. Também investimos fortemente no desenvolvimento das competências de comunicação e a formação de times entre nossos colaboradores.

Também é importante gerir o impacto da tecnologia na vida quotidiana. Se você está lidando com e-mails de trabalho e textos fora do horário comercial e nos finais de semana, quando você se desconecta? Está ficando claro que a nossa cultura "sempre em atento" está afetando a nossa saúde e bem-estar. Em 2017, a França proibiu os empregadores de enviarem e-mails fora do horário de trabalho. A cidade de Nova Iorque está considerando uma legislação semelhante. Embora eu, pessoalmente, duvide que a legislação seja a resposta, temos de reconhecer a importância de "desligar" e perseguir outros interesses no nosso tempo livre.

IA e robótica estão aqui para ficar, mas essa é a verdade: as organizações são, em última instância, um coletivo de pessoas, trabalhando e tomando decisões juntas.

Líderes, inovadores, todos nós precisamos pensar sobre como podemos usar o melhor da tecnologia para trazer o melhor das pessoas. E as empresas precisam investir nos atributos humanos únicos das pessoas, para garantir que elas tenham um futuro significativo.

Explore a Transformação Digital de todos os ângulos

Os insights da EY sobre Transformação Digital podem ajudá-lo a desenvolver novos valores e criar a empresa do futuro.

Descubra mais

Resumo

A robótica e a IA vieram para ficar: os líderes precisam pensar em como podemos utilizar o melhor da tecnologia para realizar o potencial humano e investir nos atributos humanos únicos das pessoas.

Sobre este artigo

Por Alison Kay

EY Global Accounts Committee Chair

Trabalhando nas maiores contas da EY. Defensora de uma força de trabalho diversificada. Pianista. Adora velejar.

Related topics Digital Workforce AI