6 minutos de leitura 17 set 2019
2q19 mobility quarterly istock

Como a colaboração tecnológica está a impulsionar o crescimento através do setor da mobilidade

As indústrias da mobilidade estão a investir em iniciativas de digitalização e analytics para promover a eficiência operacional num contexto de mudança dos padrões de procura.

Com os padrões de procura a mudar de forma transversal a diversos subsetores geográficos, as empresas de mobilidade estão a preparar-se para disrupção vinda de todas as direções. Durante as divulgações públicas de resultados a analistas, os líderes de 20 empresas automóveis e de transportes (A&T) declararam ter acelerado iniciativas de digitalização e analytics para manter a eficiência neste período de mudanças sem precedentes.

“Desenvolvimentos geográficos” continuam a ser o tema principal. Contudo, “custos operacionais” e “iniciativas de reestruturação” chegaram à segunda e terceira posições, respetivamente, empurrando a “evolução da mobilidade” para a quarta posição.

Os 10 temas principais neste trimestre:

1. Desenvolvimentos geográficos — condições de mercado por região
Uma combinação de elementos, como a vasta incerteza macroeconómica e restrições regulatórias, levou à redução da atividade de compras na Índia e na China. Por outro lado, o mercado norte-americano testemunha uma transição em grande escala de carros para carrinhas leves e híbridas, cuja procura tem aumentado. As vendas de carrinhas também atingiram novos patamares devido ao sucesso dos sistemas de entrega e expedição. A América Latina permanece instável, refletindo o moderado crescimento económico e a volatilidade das taxas de câmbio na região.

2. Custos operacionais — contenção dos custos com matérias-primas enquanto os preços sobem
Enquanto as principais divisas continuam a desvalorizar em relação ao dólar, o aumento dos preços está a ajudar os mercados a combater a elevada inflação. A maioria das empresas confirma a contenção dos custos das matérias-primas, recorrendo aos benefícios das ações de pricing, de programas de reestruturação e ao aperfeiçoamento do mix de oferta para melhorar os resultados operacionais. Os gastos com R&D continuam elevados enquanto as empresas priorizam o desenvolvimento de arquiteturas e tecnologias de veículos focadas na eletrificação, autonomia e mobilidade conectada.

3. Iniciativas de reestruturação — a reorganização redireciona o foco para os segmentos de elevado crescimento
Vários pares estão a rever os seus portfólios atuais e futuros para concentrar os recursos nos negócios mais relevantes. As empresas automóveis estão a realinhar as suas unidades de negócio para obter maior visibilidade sobre os resultados financeiros por segmento de produto, região, cliente e programa. Enquanto a capacidade de produção é ajustada região a região, o número total de colaboradores está a ser reduzido.

4. Evolução da mobilidade — veículos elétricos prontos para atualização
Os fabricantes de equipamento original (OEMs) da China e de outros países procuram ofertas de emissões zero, incluindo veículos elétricos de tração integral, com alta potência e desempenho. Os pares de veículos comerciais (CV) acreditam que a indústria da mobilidade está num momento decisivo para conseguir autonomia no setor mineiro. Os fornecedores de componentes continuam a garantir vitórias comerciais para os segmentos de produto de elevado crescimento, como sistemas avançados de assistência ao condutor.

5. Evolução do produto — padrões de procura em mudança exigem inovação de produto
A maioria dos fabricantes de automóveis declarou que está a migrar para sistemas de arquitetura de veículos inteligentes, passíveis de ser expandidos. Os pares de transporte estão a reforçar as suas competências para oferecer maior rapidez e conveniência aos clientes, prestando serviços como entregas durante toda a semana. Os fabricantes de veículos de passageiros (PV) estão a alocar mais capital aos camiões, SUVs, crossovers e veículos de desempenho devido à forte global procura por estes produtos. Os OEMs premium anunciaram planos para lançar uma série de veículos com fuel cells, com potencial para substituir a tecnologia das baterias.

Crescimento inorgânico (M&A, joint ventures e parcerias) — a colaboração é crucial
Num esforço para aumentar a quota de mercado, reduzir a estrutura de custos, inovar em produtos e serviços e aprimorar as suas competências técnicas, muitos pares e fornecedores estão a colaborar com empresas tecnológicas. As empresas de transporte estão a adquirir empresas de transporte de mercadorias para alargar os seus portfólios de serviços e expandir a sua base geográfica. Muitas empresas de PV optam pelo desenvolvimento conjunto de novos segmentos de veículos com motores elétricos e de combustão interna (ICE).

7. Gestão de fundo de maneio e de fluxos de caixa — alterações em relação ao trimestre anterior
Embora o fluxo de caixa operacional continue a melhorar para a maioria dos pares, algumas empresas registam um declínio devido à volatilidade da procura e a custos de reestruturação mais elevados. O rightsizing de inventários à escala micro torna-se uma prioridade à medida que as empresas aumentam a flexibilidade das suas cadeias de fornecimento. Os pares de veículos de passageiros procuram agora normalizar os inventários mas não preveem crescimento nos stocks de revendedores para 2H19.

8. Produção e gestão de supply chain — modernização da cadeia de fornecimento e de produção
Programas plurianuais para reduzir os custos de fabrico e aumentar a produtividade continuam a gerar resultados positivos em 2Q19. A adoção da produção flexível e a padronização de equipamentos e processos reduziram o investimento de capital para alguns pares e veículos de passageiros. Muitos fabricantes de automóveis estão a adotar plataformas de veículos digitais que integram sistemas como propulsão elétrica, proteção cibernética e sistemas avançados de segurança ativa.

9. Desafios regulatórias — as políticas governamentais restringem os limites de emissões
Fabricantes de automóveis de todas as regiões estão a atualizar ativamente os seus portfólios de acordo com os requisitos de CO2 à medida que os custos de compliance e os atrasos na certificação aumentam. A adoção antecipada da próxima fase de normas de emissões na Índia (BS VI) e na China (China VI) é considerada o maior desafio da década pelos fabricantes de automóveis. A redução de incentivos em França no âmbito do programa de renovação de frotas deverá impactar a procura em 2H19.

10. Crescimento orgânico (produto, estratégia e inovação) — atividade nas principais linhas de produtos e ajustes de capacidade
Diversas empresas aumentam o investimento em novas ofertas e tecnologias digitais. As empresas de veículos comerciais estão a desenvolver ofertas de tecnologia elétrica para setores adjacentes, enquanto os pares no setor dos transportes se focam em grandes clientes de e-commerce. Procuram também expandir a sua capacidade e reforçar as suas competências tecnológicas via hubs automatizados e redes flexíveis.

  • Âmbito, limitações e metodologia

    Este estudo analisa os principais temas discutidos pelos líderes de 20 empresas de A&T (incluindo veículos de passageiros, veículos comerciais e fornecedores de automóveis) durante as divulgações públicas de resultados a analistas. Este relatório acompanha estes temas trimestralmente para proporcionar uma perspetiva das mudanças no setor.

Resumo

Com a disrupção a surgir de todas as direções, o setor da mobilidade está a preparar-se para gerir uma nova fase de variabilidade. A mudança dos padrões de procura nos diversos subsetores geográficos, juntamente com a evolução das soluções de mobilidade, a intensificação da concorrência, a inovação de produtos, regulamentações rigorosas e cenários políticos desfavoráveis, cria um campo de jogo volátil para os pares de mobilidade neste trimestre. Para contrariar este cenário, as empresas aceleraram as suas iniciativas de digitalização e analytics de modo a promover a eficiência operacional — desde a otimização da pegada de produção até à visibilidade da cadeia de valor.

Sobre este artigo