Comunicado de Imprensa

14 jan 2022 Lisbon, PT

Estudo EY/APAH | Mais de dois terços dos agentes do setor da saúde reclamam medidas sobre retenção de talento no SNS nos programas eleitorais

Conheça as principais conclusões do estudo realizado pela EY e Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares.

Contacto de imprensa
EY Portugal

Firma de serviços profissionais multidisciplinares

  • Pesquisa realizada pela EY e Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) junto de administradores hospitalares, profissionais de saúde e associações de utentes mostra que 66% dos inquiridos quer ver nos programas eleitorais medidas concretas sobre retenção de talento no SNS.
  • Três quartos (75%) dos respondentes consideram prioritária a inclusão de medidas concretas sobre revisão dos modelos de compensação e benefícios dos profissionais.
  • Agentes do setor da saúde apelam a que as medidas de política se centrem na experiência do utente, associando o financiamento à obtenção de resultados de saúde.

Lisboa, 14 de janeiro de 2022. A retenção e desenvolvimento dos profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) é a principal preocupação dos especialistas do setor para a próxima legislatura, revela o inquérito “Que prioridades para a Saúde em Portugal?”, realizado pela EY e Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), com o objetivo de perceber o que esperam os principais agentes do setor da saúde dos programas eleitorais que irão a votos nas eleições legislativas de 30 de janeiro.

A pesquisa demonstra que os recursos humanos são o tema mais premente, com mais de dois terços dos inquiridos (66%) a considerarem essencial que os programas eleitorais indiquem as medidas a tomar no sentido de reter e desenvolver os profissionais do SNS.

Sobre esta matéria, 75% consideram prioritária a inclusão de medidas concretas sobre revisão dos modelos de compensação e benefícios dos profissionais do SNS, enquanto 72% sinalizam a importância de medidas claras quanto ao papel que devem ter médicos e enfermeiros, bem como sobre se os partidos pretendem legislar em matéria de carreiras e de formação e retenção de profissionais. Após dois anos de pandemia, a terceira prioridade – identificada por 68% da amostra – prende-se com a necessidade de se preverem mecanismos que permitam maior autonomia na contratação de pessoal, possibilitando assim melhor capacidade de resposta às necessidades dos utentes.

Mesmo quando não se vive em pandemia, é importante que os cidadãos conheçam a estratégia e as principais medidas que os candidatos a governantes se propõem implementar. Com este survey quisemos contribuir para que quem melhor conhece o setor identifique quais os temas prioritários em saúde – aqueles que não deveriam ficar fora dos programas eleitorais.
Paulo Silva
Health Sciences and Wellness Leader, Ernst & Young Audit & Associados – SROC, S.A.
Tendo a pandemia deixado evidente que as decisões de política pública em matéria de saúde têm um impacto direto e relevante na vida de todos, para a APAH torna-se especialmente importante ouvir quem tem conhecimento direto do setor sobre quais as matérias que considera essencial serem detalhadas nos programas eleitorais.
Alexandre Lourenço
Presidente da APAH

Em linha com a preocupação verificada com os recursos humanos, o investimento em pessoal médico (4,05) e pessoal de enfermagem (4,04) obtiveram as pontuações mais elevadas na escala de prioridades (entre 0 – nada importante – e 5 – extremamente importante), acima do investimento no alargamento/remodelação da rede de cuidados de saúde (3,91) e investimento em equipamentos/meios complementares de diagnóstico (3,55).

O estudo da EY e da APAH, que auscultou administradores hospitalares, profissionais de saúde e associações de utentes entre 14 de dezembro de 2021 e 3 de janeiro de 2022, conclui também que, no que respeita ao financiamento do SNS, há dois temas centrais para os quais os especialistas querem conhecer as propostas dos diferentes partidos. Em primeiro lugar, de que forma é que esse financiamento irá promover uma melhoria na articulação entre cuidados primários e secundários; em segundo lugar, de que forma é que se pretende promover uma relação direta entre financiamento e os resultados sentidos pelos utentes.

Este ponto reflete uma tendência global de adoção de critérios de Value-Based Healthcare, em que o objetivo é maximizar o valor extraído dos recursos disponíveis – medido em resultados para a saúde dos utentes – por unidade de investimento no sistema de saúde. Segundo este princípio, a alocação do financiamento deve atender menos ao volume produzido (ex: número de consultas ou cirurgias) e mais aos resultados sentidos pelos utentes (ex: benefícios reportados pelos utentes), permitindo aos serviços de saúde evoluírem com foco no utente.

No mesmo sentido, a melhoria da jornada do utente é vista como essencial por 79% dos agentes da saúde, enquanto 67% destacam como prioritária a redução de tempos de espera para consultas, cirurgias e exames, nomeadamente através de uma melhor articulação entre o SNS e a rede privada de cuidados de saúde.

Contactos: Telma Franco

Telma Franco

Sobre a EY
A EY tem como propósito construir um mundo melhor de negócios, ajudando a criar valor a longo prazo para os seus clientes, colaboradores e a sociedade, bem como a gerar confiança nos mercados. Dotados de informação e de tecnologia, várias equipas da EY, em mais de 150 países, asseguram confiança através da auditoria e ajudam os seus clientes a crescer, transformar e operar. Através de serviços de auditoria, consultoria, fiscalidade, transações, estratégia e serviços jurídicos, as equipas da EY pretendem colocar melhores perguntas para encontrar novas respostas para as complexas questões que o nosso mundo enfrenta hoje. EY refere-se à organização global, e pode referir-se a uma ou mais firmas-membro da Ernst & Young Global Limited, cada uma das quais uma entidade juridicamente distinta. A Ernst & Young Global Limited, firma sedeada no Reino Unido, limitada por garantia, não presta serviços a clientes. As firmas-membro da EY não prestam serviços jurídicos quando tal seja vedado pela legislação local. Para mais informação sobre a nossa organização, por favor visite  www.ey.com/pt_pt.

Sobre a APAH
A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) é uma organização representativa dos profissionais com funções de administração e gestão na área da saúde em Portugal, desde 1981. Atualmente + 700 associados, a APAH tem como missão a salvaguarda dos interesses profissionais e a promoção social e deontológica dos Administradores Hospitalares, nos múltiplos contextos organizacionais onde desempenham funções. É seu objetivo, contribuir para a elevação dos padrões de qualidade e excelência dos resultados de saúde em Portugal, através da promoção e integração de boas práticas na gestão de entidades prestadoras de cuidados de saúde, bem como criar parcerias e redes de apoio entre gestores e instituições dos ramos da saúde, da educação e do apoio social, entre outro. Para mais informações consulte o site: http://www.apah.pt/ Siga a APAH no Facebook, Linkedin, Twitter, YouTube e Instagram.