8 Minutos de leitura 29 ago 2018
photographer beach winter snow

Como uma estratégia integrada de sustentabilidade pode ajudá-lo a se destacar

Por

EY Brasil

Organização de serviços profissionais multidisciplinares

8 Minutos de leitura 29 ago 2018

Mostrar recursos

A integração da sustentabilidade é importante para os negócios à prova do futuro. Considere as megatendências globais que podem ter impacto.

Hoje, mais do que nunca, integrar a sustentabilidade na sua estratégia é importante para proteger um negócio contra a obsolescência. No entanto, organizações em todo o mundo estão percebendo que, para tanto, elas devem se planejar e abordar os impactos potenciais das megatendências globais — fatores que podem mudar fundamentalmente o modo como elas poderão operar nas próximas décadas. É importante que as empresas olhem além de seus próprios desafios — diretos ou indiretos — e considerem as influências mais amplas que estão mudando a maneira como o mundo funciona. Essas influências incluem: o número crescente de requisitos para demonstrar comportamento ético e descrever o propósito de uma organização; e uma crescente base de consumidores que estão mais bem informados sobre a conexão entre os produtos e serviços que compram e seus impactos nas pessoas e no meio ambiente.

Os investidores estão cada vez mais atentos a isso - como evidenciado pela pesquisa anual de investidores da EY.[1] A pesquisa mostra que 80% de todos os entrevistados concordaram ou concordaram fortemente que fatores ambientais e sociais (não apenas governança) oferecem tanto riscos quanto oportunidades, mas que as empresas não os consideram em seus negócios.

Além da transparência, houve uma mudança recente no sentimento dos investidores para se concentrar também em saber se as organizações integraram a sustentabilidade em suas estratégias de negócios para melhorar o desempenho e construir resiliência.

O que significa integrar a sustentabilidade no negócio?

Para responder às exigências dos investidores no sentido de uma maior integração, é necessário explorar o que significa realmente "integração". Não há uma definição amplamente reconhecida ou mesmo uma visão universal de como realizá-la. Vários estudos em torno do conceito de integração ofereceram definições, incluindo:

  • Um impulso para a excelência operacional: utilizar processos para alcançar resultados esperados, enriquecendo e atualizando-os sob o prisma da sustentabilidade (por exemplo, a introdução de cláusulas de sustentabilidade ambiental e social no processo de seleção ou gestão de fornecedores ou a integração de riscos de sustentabilidade aos processos de gestão de riscos).
  • Pensamento integrado: uma forma holística de pensar uma organização e como ela cria valor, é considerar a interação entre ativos tangíveis e intangíveis à medida que ela opera
  • Motor de inovação: uma forma de inovar novos produtos, incluindo os aspectos ambientais e sociais, desde a sua concepção até ao reforço da inovação dos produtos
  • Resposta a um mundo em mudança: a capacidade de uma organização para ativar e interpretar mudanças sociais, ambientais e econômicas para antecipar necessidades que possam levar à transformação do propósito do negócio, além de suas práticas operacionais
  • Novos modelos de impacto social: situações em que as fronteiras entre sustentabilidade (considerando fatores ambientais, sociais e de governança (ESG)) e negócios tradicionais (foco no valor financeiro) se tornam difusas, em conjunto com o surgimento de novos modelos de negócios voltados para o impacto social.

No entanto, como você pode ver, esses conceitos diferem significativamente. E, apesar de serem exercitados com sucesso por alguns, eles não ressoam necessariamente com os tomadores de decisão envolvidos no desenvolvimento de estratégias corporativas. Dado que a integração da sustentabilidade é de importância crescente para muitas organizações, elas devem entender melhor a "sustentabilidade integrada" e como ela pode melhorar o desempenho do negócio.

Uma nova definição de integração da sustentabilidade nos negócios

Com o foco contínuo na sustentabilidade por parte de algumas das principais organizações mundiais, está a emergir uma visão prospectiva sobre a definição de sustentabilidade. Consistentemente, esta nova definição incorpora um redesenho e redefinição da estratégia e dos processos operacionais que respondem às mudanças, necessidades e expectativas do mercado e da sociedade para apoiar o valor de longo prazo.

Nessa definição, a palavra "sustentabilidade" torna-se sinônimo da capacidade da organização de se adaptar aos potenciais impactos das megatendências globais e perdurar ao longo do tempo. Aqui, a integração pode ser interpretada como uma oportunidade para melhorar as operações diárias e também para olhar para a transformação do negócio para o futuro, sejam eles novos produtos, um novo propósito ou um novo modelo de negócio.

Como é que se integra a sustentabilidade?

Ao longo dos últimos anos, tem havido uma proliferação de novas teorias de gestão relacionadas à estratégia de sustentabilidade que busca fornecer método ou orientação sobre integração. Alguns exemplos significativos incluem:

  • O modelo de Gond identifica oito níveis de maturidade para integrar a sustentabilidade nos negócios, desde a sustentabilidade e a estratégia de negócio gerida em paralelo, até à estratégia integrada - onde a sustentabilidade é gerida directamente através de práticas e sistemas de gestão.
  • A abordagem de Lozano está mais focada nos tipos de iniciativas de sustentabilidade[2] que são avaliados de acordo com a contribuição potencial para as dimensões da sustentabilidade. São as dimensões econômica, ambiental, social e temporal, em uma escala que inclui a cobertura completa, parcial ou variável das dimensões, dependendo do uso da ferramenta.

O desenvolvimento também tem sido realizado por organizações globais e think tanks para projetar estruturas para fornecer às organizações abordagens práticas sobre como integrar modelos de sustentabilidade em suas operações. Os exemplos incluem:

  • O Roteiro para a Sustentabilidade Integrada do Pacto Global das Nações Unidas fornece um guia prático para integrar a sustentabilidade na estratégia, operações e cultura corporativa. Em particular, o road map identifica, para cada função corporativa chave, um conjunto de recomendações para a integração da sustentabilidade nessas funções corporativas, bem como algumas práticas emergentes.
  • O guia Sustentabilidade Incorporada, do think tank inglês SustainAbility, define cinco elementos essenciais para a integração, como o entendimento do modelo de negócio, o foco em temas de materialidade, a inclusão da sustentabilidade no desenho de produtos e serviços, o desenvolvimento da mentalidade e do relato integrado e a análise desses aspectos na cultura corporativa que podem ser drivers úteis para a sustentabilidade.
  • O Guia Executivo: Modelos de Negócio de Valor Compartilhado, elaborados pela Rede para a Sustentabilidade Empresarial, exploram três possíveis práticas operacionais que podem ajudar as corporações a integrar a sustentabilidade em seus negócios de acordo com uma perspectiva de valor compartilhado:
  1. O modelo Hourglass que pode ajudar as empresas a olhar e avaliar o modelo de criação de valor de forma integrada e holística
  2. O Roadmap da Estratégia de Sustentabilidade que identifica os passos para orientar a estratégia corporativa em direção ao valor compartilhado
  3. O Business Model Thinking Framework que apoia as organizações na definição de um novo modelo de negócio inspirado no valor partilhado

Cada um destes modelos difere em âmbito e abordagem, e saber qual destes modelos (ou outros) escolher e como iniciar a jornada pode ser assustador. Afinal, muitas organizações estão apenas no ponto de considerar a sustentabilidade, muito menos de incorporá-la ao cerne de seus processos de tomada de decisão de longo prazo. Além disso, os gerentes de sustentabilidade que são solicitados a navegar pela mudança muitas vezes não têm influência direta na definição da estratégia de negócios.

Então, para onde a partir daqui?

A pesquisa de investidores da EY fornece uma direção clara: a maioria dos investidores agora considera fatores de sustentabilidade ESG juntamente com outros fatores de negócios e de mercado em sua tomada de decisão. Com isso em mente, na medida em que um dos modelos, estruturas ou roteiros acima é adotado, os investidores podem esperar que as empresas tenham feito sua análise para identificar:

  • Fatores externos que podem influenciar o negócio
  • Questões que podem ser relevantes para o negócio agora e no futuro
  • Implicações específicas destes para os riscos e oportunidades do negócio
  • A ambição do conselho e do executivo em resposta ao ambiente externo e aos riscos e oportunidades identificados

A profundidade da análise acima pode influenciar tanto a capacidade do negócio de integrar a sustentabilidade quanto a escolha do modelo de integração.

Portanto, se você está embarcando na jornada de definir uma estratégia de sustentabilidade pela primeira vez ou se está focado em integrar melhor uma estratégia existente, antes de dar o passo de decidir sobre um modelo de integração, pode ser útil:

  1. Realizar ou revisitar o planejamento de cenários, compreendendo as megatendências globais e considerando os principais influenciadores em seu mercado em três dimensões: importância das partes interessadas, impacto para o negócio e o imediatismo do aspecto para o negócio (ou seja, a curto, médio ou longo prazo)
  2. Ampliar o engajamento dos stakeholders para realmente entender o que seus principais stakeholders consideram importante sobre seu negócio, sua indústria e os mercados em que você opera
  3. Compare sua empresa com sua concorrência, seus fornecedores e seus clientes para entender suas estratégias e suas atividades
  4. Amplie seus processos de análise de mercado e avaliação de risco para incorporar os planos de cenário que se baseiam em conjuntos de dados globais, políticas e insights do setor, para criar uma série de variantes para uma visão "estado futuro" de risco e oportunidade.
  5. Envolva-se com seu conselho e seu executivo para entender a ambição do negócio para responder aos cenários, stakeholders e riscos acima mencionados

Empreender o acima descrito como um processo definido (e em muito mais profundidade do que tem sido feito no passado) pode posicionar as empresas para melhor identificar um modelo de integração, que atenda às suas necessidades, forneça uma plataforma para um business case para ação e apoie o processo de integração geral. É importante ressaltar que também pode ajudar as empresas a fornecer uma visão mais detalhada aos investidores sobre por que a integração das estratégias de negócios e sustentabilidade propostas irá diferenciá-los agora e no futuro.

  • Mostrar referências de artigos#Ocultar referências de artigos

    1. O seu desempenho não financeiro está a revelar o verdadeiro valor do seu negócio aos investidores? EYGM Limited, 2017.
    2. Gond J.P., Grubnic S., Herzig C., Moon J., Configurando sistemas de controle de gestão: Theorizing the integration of strategy and sustainability, Management Accounting Research, Volume 23, Edição 3, 205-223, 2012.
    3. Lozano Rodrigo, Towards better embedding sustainability into companies' systems: an analysis of voluntary corporate initiatives, Journal of Cleaner Production, 25:14-26, 2012.
    4. Roadmap for Integrated Sustainability, site do Pacto Global das Nações Unidas, https://www.unglobalcompact.org/take-action/leadership/integrate-sustainability/roadmap, acessado em 5 de março de 2018.
    5. "Sustainability Incorporated", website da SustainAbility, sustainability.com/our-work/reports/sustainability-incorporated/, acedido a 5 de Março de 2018.
    6. "Guia Executivo: Business Models for Shared Value", website da Network for Business Sustainability, https://nbs.net/p/executive-guide-business-models-for-shared-value-02275ff6-3d66-4109-ace3-4fa826caa9af, acessado em 29 de março de 2018.

Resumo

Hoje, mais do que nunca, a integração da sustentabilidade na estratégia é importante para os negócios à prova de futuro. No entanto, as organizações em todo o mundo estão percebendo que, para isso, devem planejar e abordar os impactos potenciais das megatendências globais - fatores que podem mudar fundamentalmente a forma como podem operar nas próximas décadas.

Sobre este artigo

Por

EY Brasil

Organização de serviços profissionais multidisciplinares