4 Minutos de leitura 4 abr 2018
friends gaming home

Como a gamificação pode levar as experiências dos investidores a um novo patamar

4 Minutos de leitura 4 abr 2018

Mostrar recursos

Ao envolver os clientes de forma intuitiva, a gamificação pode ajudar os investidores a superar os desafios financeiros e de investimento.

Os meus três filhos adoram jogos de computador, e eu entendo porquê.   É tão divertido mergulhar em um mundo de fantasia — e um mundo onde você é o mestre do seu próprio destino.   Os criadores de jogos têm uma incrível capacidade de criar mundos virtuais complexos que são fáceis e emocionantes de explorar.   Esta dinâmica incrível exerce uma forte influência sobre todos os jogadores.

Em um exemplo fascinante de convergência intersetorial, as empresas de gestão de fortunas e ativos esperam poder fazer o mesmo truque.   Eles estão apostando que as técnicas de jogo os ajudarão a criar momentos agradáveis e estimulantes — e hábitos para seus clientes. Em última análise, essas empresas acreditam que a gamificação irá revolucionar as experiências e relacionamentos dos clientes, levando a uma maior fidelidade dos investidores e melhores resultados de investimento.

Um avanço no noivado?

Estamos todos familiarizados — talvez demasiado familiarizados — com os obstáculos empilhados no caminho do planeamento do investimento a longo prazo, tais como sentirmo-nos esmagados por ele, não sabendo a quem recorrer para obter os melhores conselhos e adiamentos.   Além disso, o planeamento financeiro e o investimento são atividades complexas que, ironicamente, podem parecer pouco compensadoras.   E embora a maioria de nós entenda a importância dos objetivos de longo prazo, eles muitas vezes parecem distantes dos desafios de nossas vidas diárias.

Se a indústria de investimento se basear nessa abordagem comportamental, a gamificação pode ser inestimável para educar os clientes.

Quando penso em como fazer ressoar um assunto complexo, recordo-me de um programa de TV americano que assisti quando criança, chamado "School House Rock". Apesar de não me ter apercebido disso na altura, estes breves anúncios de desenhos animados – que explicavam tópicos como a forma como as contas são aprovadas no governo – ensinaram-me lições de uma forma memorável e envolvente. Se a indústria de investimento se basear nessa abordagem comportamental, a gamificação pode ser inestimável para educar os clientes.

Ao envolver os clientes de uma forma divertida e intuitiva, a gamificação tem o potencial de ajudar os investidores a superar os desafios financeiros e de investimento, tornando a complexidade simples.   Ele pode capacitar os usuários, dando-lhes as ferramentas para navegar na selva de investimentos e ter sucesso em sua própria busca financeira pessoal.   Na verdade, pode ser uma ótima maneira de explicar conceitos como risco e recompensa, ou compounding, que as empresas muitas vezes acham tão difícil de comunicar. 

Estas são afirmações ousadas, mas são apoiadas pela forma como a gamificação influencia os comportamentos humanos. No nível interativo, ele pode "ensinar" objetivos e técnicas complicadas sem sequer parecer tentar, da mesma forma que os jogos de computador usam incentivos e recompensas para nos manter querendo "subir de nível".   E no nível de investimento, ele pega uma página da teoria do encorajamento direto e da economia comportamental, orientando-nos para decisões que estão alinhadas com nossos interesses de longo prazo.

Crianças jogando em um salão de jogos

Da fantasia à realidade

A gamificação não se resume apenas a tornar o investimento divertido ou a capacitar os investidores.   Está a tornar-se um negócio sério.   Gestores de riqueza e ativos de todos os tamanhos estão desenvolvendo suas capacidades.   E esta não é uma estratégia de nicho.   A gamificação pode ser aplicada a relações de massa afluente, de alta renda e institucionais.  Por exemplo, as seguradoras ou os fundos de pensões poderiam utilizar a gamificação para ajudar os seus próprios investidores a construir uma ligação mais forte entre as suas finanças e as suas vidas reais.  

Ao criar um futuro mais tangível, a gamificação pode ser um enorme motivador de poupança para os investidores. Imagine estabelecer uma meta de economia para a casa dos seus sonhos, e ser capaz de construir, projetar e até mesmo passear (via realidade virtual) uma casa modelo com base no seu orçamento.

Então, como pode parecer a gamificação do planeamento financeiro? Os clientes interagiriam com seus objetivos pessoais e financeiros através do aplicativo baseado em jogos da empresa. Essa abordagem poderia usar os bônus de varejo como um café gratuito para recompensar o engajamento inicial (com base na análise dos dados dos clientes — ver meu blog anterior) e aproveitar as técnicas de jogos para incentivar os clientes a trabalharem em direção aos objetivos de investimento para alcançar seus resultados desejados. Pode até fornecer uma simulação de realidade virtual de benefícios de investimento para os clientes e suas famílias. Isso permitiria aos clientes visualizar os benefícios de suas decisões financeiras, criando um desejo emocional mais forte de alcançar seus objetivos de investimento.

Ao criar um futuro mais tangível, a gamificação pode ser um grande motivador para os investidores pouparem. Imagine estabelecer uma meta de economia para a casa dos seus sonhos, e ser capaz de construir, projetar e até mesmo passear (via realidade virtual) uma casa modelo com base no seu orçamento. Ou que tal ver o seu filho(a) receber o seu diploma à medida que se gradua na faculdade da sua escolha?

Colaborar para competir


Não será fácil para os gestores de riqueza e de activos conceber estratégias que permitam concretizar com êxito o imenso potencial da gamificação. No mínimo, terão de o fazer:

  • Considerar como a gamificação poderia apoiar seus objetivos estratégicos mais amplos
  • Avaliar como a gamificação pode ser usada tanto para melhorar as relações com investidores diretos quanto para apoiar os canais intermediários
  • Identificar os segmentos de investidores que têm maior probabilidade de responder à gamificação
  • Colabore com os parceiros externos certos em vários setores industriais
  • Combinar expertise em ciência comportamental, codificação, conhecimento de investimento, realidade virtual e análise de dados
  • Conecte incentivos virtuais com recompensas do mundo real

Para as empresas, o resultado final é que a gamificação pode revolucionar as relações com os clientes e, ao fazê-lo, melhorar os resultados dos investidores. Tem o potencial de criar um círculo virtuoso de engajamento, aprendizagem, confiança e lealdade. Ter investidores mais engajados e capacitados abrirá novas oportunidades para empresas e clientes, e pode até abrir caminho para uma maior convergência do setor no futuro próximo.

Vamos ao jogo!

Resumo

Para levar as experiências dos investidores a um novo nível, os gestores de património e de activos devem aplicar os ensinamentos da gamificação.