Equidade de gênero: agora é a hora de ir mais rápido e além?

3 Minutos de leitura 4 mar 2021
Por Julie Teigland

Sócia líder da EY EMEIA e líder global da EY – Women. Fast forward

Apaixonada pelo poder transformador da digitalização e da inovação e pelo seu potencial para proporcionar aos clientes um crescimento sustentável e inclusivo.

3 Minutos de leitura 4 mar 2021

A equidade de gênero é parte da solução para muitas das questões mais complexas da atualidade.

A cada ano, as equipes da EY veem no Dia Internacional da Mulher a oportunidade para reconhecer a incrível contribuição das mulheres para o nosso mundo. No entanto, nosso compromisso é muito mais profundo do que isso. Implícito dentro do nosso propósito de Construir um Mundo de Negócios Melhor, queremos garantir que as mulheres sejam incluídas na tomada de decisões em todos os níveis da sociedade, nos negócios e nas políticas públicas. E mesmo em um ano em que os esforços para promover a igualdade de gênero podem parecer ter sido postos de lado para combater a pandemia de COVID-19 e a recessão econômica, a verdade é que estamos mais comprometidos com esse tema do que nunca.

Isso porque o impacto das paralisações por causa da pandemia não foi "dividido". Em todo o mundo, mais mulheres estão desempregadas em comparação com homens. Os tipos de empregos e setores mais impactados são predominantemente ocupados por mulheres. A diferença salarial entre os sexos tem sido exacerbada, aumentando a diferença entre aposentadorias ou pensões e aumentando o número de mulheres e meninas em extrema pobreza. A ONU prevê que vai levar pelo menos 10 anos para reverter o impacto econômico da pandemia sobre as mulheres e, em alguns locais, as melhorias na igualdade de salário diminuíram para níveis não vistos desde a crise financeira de 2008.

Creches, escolas e outros programas ou serviços de infraestrutura continuam fechados; os trabalhadores domésticos não podem prestar serviços; os programas para idosos ou pessoas debilitadas continuam fechados. Estes mecanismos são cruciais para a capacidade de trabalho de ambos os sexos, mas são particularmente importantes para as mulheres – ainda mais para as mulheres em setores e serviços significativamente impactados pela pandemia. Algumas estimativas sugerem que as mulheres estão fazendo de três a quatro vezes mais horas de trabalho não remunerado do que seus colegas homens, aumentando a pressão sobre as mulheres no mercado de trabalho, para que elas façam escolhas impossíveis. Sem serviços de assistência social, as mães solteiras e mulheres que trabalham em meio período ou sem horários fixos, não conseguem continuar trabalhando. As que têm meios financeiros para cobrir seus gastos ou capacidade de trabalhar remotamente ainda enfrentam demandas crescentes de seu tempo, que vão desde o "home school" e o cuidado de seus entes queridos, até a comprar de comida e suprimentos básicos.

Women. Fast forward

Na EY, estamos criando uma cultura inclusiva, que permite que as mulheres usem todo o seu potencial para transformar nossa sociedade e construir um mundo de negócios melhor.

Saiba mais

Na EY, nos concentramos na ideia de pertencimento – o que significa que valorizamos as diferenças entre si e trabalhamos para criar um ambiente que permita que cada membro da equipe traga seu autenticidade para o local de trabalho. SheBelongs é mais do que uma hashtag para mim, pois ela "conversa" com os valores fundamentais da nossa organização. Eu sei o estresse de ser uma mãe que trabalha. Eu sei o estresse de se preocupar com os membros da minha família e tentar criar um ambiente saudável e seguro. Eu sei quantos colegas – homens e mulheres – também estão lutando durante esse momento difícil.

Nós vamos chegar em um momento onde a pandemia vai estar sob controle, e nossas vidas vão voltar a ter algum nível de atividade social, e poderemos viajar novamente para ver nossos entes queridos. Mas vamos nos certificar de que isso também seja acompanhado pela capacidade das mulheres de atingir seus objetivos pessoais e aspirações profissionais. Vamos nos certificar de que todos nós encontremos maneiras de nos tornarmos mais equitativos em nossas casas, nossos papéis e em nossas vidas. Vamos nos certificar de #SheBelongs

 

Resumo

Sem igualdade de gênero, o mundo não pode se recuperar da pandemia da COVID-19 de forma sustentável e inclusiva. Quando nos certificamos de #SheBelongs, criamos um mundo melhor para todos.

Sobre este artigo

Por Julie Teigland

Sócia líder da EY EMEIA e líder global da EY – Women. Fast forward

Apaixonada pelo poder transformador da digitalização e da inovação e pelo seu potencial para proporcionar aos clientes um crescimento sustentável e inclusivo.