6 Minutos de leitura 11 set 2018
businesswomen checking stock market data

10 coisas que você precisa saber sobre dados e relatórios avançados

Há benefícios que as empresas podem colher da análise de dados, mas também desafios na coleta e no gerenciamento desses dados.

No mundo hiper-conectado de hoje, as empresas enfrentam novos riscos. A confiança e a confiança que a criação de relatórios corporativos pode ser minada por escândalos como violações de dados e revelações de conduta antiética.

A quarta pesquisa global de relatórios corporativos da EY, Os relatórios corporativos inovadores podem gerar confiança em um mundo volátil?  Os líderes financeiros podem fazer para gerenciar esses riscos e construir a confiança em seus negócios. A pesquisa envolveu mais de 1.000 CFOs ou controladores financeiros de grandes organizações.

O relatório tem muito a dizer sobre a recolha e gestão de dados – algo que pode ser simultaneamente um activo estratégico e uma fonte significativa de risco.

1. Uma oportunidade e um desafio

O mundo está mudando rapidamente à medida que a quarta revolução industrial, ou Indústria 4.0, ganha velocidade. Tecnologias inovadoras e análises sofisticadas estão se tornando fundamentais para gerenciar o risco e a volatilidade crescentes.

No entanto, muitas organizações estão lutando. Eles são retidos por sistemas legados que não podem falar uns com os outros e estão preocupados com os riscos complexos que vêm com volumes crescentes de dados. Embora a análise de dados crie uma oportunidade significativa, ela também levanta desafios e riscos para os líderes financeiros.

2. Análise em tempo real

A capacidade de analisar dados precisos em alta velocidade e agir sobre eles em tempo real pode ajudar os líderes financeiros a responder rapidamente aos desafios do mercado e gerenciar melhor o ambiente de risco volátil de hoje. Agora é possível transformar grandes quantidades de dados estruturados e não estruturados em insights que podem redefinir finanças e relatórios.

Portanto, não é surpreendente que a pesquisa tenha constatado que "atualizar as ferramentas de análise de dados financeiros e de TI para profissionalizar a gestão financeira" é a principal prioridade dos relatórios corporativos atuais, e 87% dos entrevistados planejam aumentar seu investimento nessas tecnologias nos próximos dois anos.

3. Uma questão de governança

A governança eficaz dos dados financeiros em termos de proteção, privacidade e conformidade é muitas vezes uma grande dor de cabeça para os líderes financeiros. Embora questões como a qualidade dos dados sejam uma preocupação para apenas 30% dos entrevistados da pesquisa, 56% estão preocupados com o gerenciamento da segurança e privacidade dos dados.

Por exemplo, 85% dos líderes financeiros consideram "muito desafiador" ou "um tanto desafiador" gerenciar ativamente os fluxos de dados com base nas leis de privacidade de diferentes jurisdições. Mesmo que nos concentremos apenas naqueles que consideram as questões "muito desafiadoras", há um número significativo de equipes de finanças e relatórios que vêem a governança de dados como uma barreira significativa.

4. Um legado de tecnologia inadequada

Muitas funções financeiras habitam um mundo de sistemas legados baseados em lote, muitas vezes com processos complexos e fontes de dados díspares e profundamente incorporados.

Estes sistemas tornaram-se eficientes e estáveis ao longo de vários anos, mas esta mesma estabilidade constitui um obstáculo fundamental na evolução para um negócio digitalmente integrado. Quando perguntados sobre o que consideram ser os principais desafios de sistemas do atual ambiente de relatórios corporativos, 53% dos entrevistados citaram a falta de integração entre os sistemas de TI, 46% citaram arquitetura de TI datada e 45% se referiram a vários sistemas de relatórios. O desafio perene da integração de sistemas continua a existir entre as equipas financeiras e a sua capacidade de inovar através da tecnologia.

5. A importância da colaboração

Uma maneira pela qual os líderes financeiros podem superar esses obstáculos é colaborando com equipes em todo o negócio para desenvolver uma abordagem de governança da informação. Se a função financeira enfrentar os seus riscos e desafios de forma isolada, perderá conhecimentos e experiência relevantes de trabalhos anteriormente concluídos e dos recursos e tecnologias disponíveis noutras funções, tais como jurídica e informática.

Com o benefício de uma compreensão mais ampla das complexas dependências entre os riscos e as iniciativas existentes de gestão dos riscos da informação, uma abordagem integrada da governança da informação pode ajudar a abordar áreas complexas, como a resposta às exigências regulamentares e o tratamento dos crescentes fluxos globais de dados.

6. Problemas de conformidade com a nuvem

As organizações enfrentam outras barreiras na implementação de novos sistemas inovadores. Em particular, 50% dos entrevistados apontaram a "preocupação com a segurança dos dados e os riscos de conformidade com as tecnologias de computação em nuvem" como a maior barreira geral à implementação de novas tecnologias e ferramentas financeiras ou de geração de relatórios em sua organização.

Embora a computação em nuvem seja amplamente sem fronteiras, a conformidade não o é, e as organizações devem estar cientes de onde os servidores de seus provedores de nuvem estão fisicamente localizados. Além disso, muitas organizações têm de cumprir as leis que restringem o fluxo de informações transfronteiriças. Por exemplo, para muitas empresas americanas cotadas em bolsa, o armazenamento em nuvem pode não ser uma opção se os servidores estiverem baseados no estrangeiro.

7. Novas competências para as comissões de auditoria...

Com um foco crescente nos desafios tecnológicos e de dados, os membros do comitê de auditoria precisarão de novas competências para cumprir seu papel de supervisão de forma eficaz. Isso inclui a necessidade de construir sua compreensão da análise de dados como uma oportunidade (por exemplo, no apoio à gestão de riscos) e um desafio (por exemplo, em garantir que haja estruturas legais compatíveis para hospedagem de dados).

A automação é crucial para dar às equipes financeiras ocupadas o espaço para desenvolver os insights de relatórios que criam transparência e confiança.

8. Auditoria interna na era digital

Os líderes financeiros e os conselhos de administração devem também perguntar se a auditoria interna possui as competências e os conhecimentos necessários para lidar com áreas de risco emergentes e em crescimento.

Por exemplo, a equipe de auditoria interna poderia fazer mais uso de análises sofisticadas? Isso pode envolver o uso de dados e análises para permitir o monitoramento contínuo e chegar rapidamente a conclusões baseadas em evidências concretas.

Os departamentos de auditoria interna devem também procurar actualizar as avaliações de risco, os planos de auditoria e as técnicas de auditoria para a era digital. Por exemplo, qual seria a abordagem de recuperação se processos altamente automatizados fossem derrubados por uma grande falha de sistemas?

9. Como os comitês de auditoria fornecem supervisão

O aumento dos volumes de dados, bem como os avanços nas ferramentas e capacidades analíticas, transformaram a forma como as organizações geram insights. No entanto, devem questionar se a informação apresentada às comissões de auditoria e aos conselhos de administração evoluiu de acordo com estes desenvolvimentos, em termos da sofisticação do conteúdo e da forma como é entregue. Com percepções mais sofisticadas, as organizações podem melhorar a qualidade do debate no conselho e da tomada de decisões, transformando a eficácia da supervisão.

A pesquisa mostra que algumas organizações – particularmente as maiores - estão progredindo nesse sentido. Apenas 19% das pequenas organizações (aquelas com receitas anuais de até US$1b) concordam fortemente que estão fornecendo aos seus conselhos um painel de gestão que oferece uma visão em tempo real dos relatórios e do desempenho, mas isso aumenta para 35% para as grandes organizações (aquelas com receitas anuais de mais de US$10b). No geral, um terço das grandes organizações está progredindo no uso de análises sofisticadas para fornecer aos conselhos inteligência de relatórios.

10. O caminho a seguir

As organizações confiáveis do futuro muito provavelmente terão uma abordagem muito diferente para a elaboração de relatórios e governança. Ao combinar volumes crescentes de dados com avanços tecnológicos rápidos, as organizações podem usar a análise para transformar sua abordagem.

Suas equipes de relatórios devem ser capazes de fornecer dados ricos e multidimensionais em um único lugar e usar ferramentas analíticas sofisticadas e outras tecnologias para fornecer relatórios e insights de negócios que são essenciais para dar visibilidade aos stakeholders sobre o negócio. Os membros do conselho provavelmente serão capazes de acessar dados em tempo real e prospectivos que os ajudarão a cumprir sua função de supervisão e reforçar a integridade da organização.

Perceber este futuro requer que os líderes financeiros e os membros do conselho diretor considerem três áreas críticas de ação:

  1. Gerenciamento de dados financeiros e de relatórios como um ativo estratégico
  2. Mudando a mentalidade financeira para abraçar a inovação tecnológica
  3. Desafiando a governança tradicional e as estruturas do conselho de administração

As opiniões de terceiros apresentadas neste artigo não são necessariamente as opiniões da organização global da EY ou de suas firmas-membro. Além disso, devem ser vistas no contexto da época em que foram feitas.

Resumo

Nossa pesquisa global de relatórios corporativos – de 1.000 CFOs ou controladores financeiros de grandes organizações – explora o que os líderes financeiros podem fazer para gerenciar riscos e construir confiança em seus negócios.